quarta-feira, maio 21, 2008

Expectativa

A vida dos clubes de futebol é aparentemente simples – os sócios escolhem o presidente e este encarrega-se da magna tarefa de escolher o treinador. Eu sei que pelo meio, atrás e à frente, existem cargos importantes, o tesoureiro, o director desportivo, o responsável pelos equipamentos, mas sem desprimor para ninguém, só o treinador concita as atenções gerais, é ele a chave do sucesso ou insucesso de uma época. Não foi sempre assim, uma expressão de Otto Glória que ganhou fama – não se fazem omeletes sem ovos – reconhecia outra realidade, nesse tempo havia poucos jogadores de qualidade, daqueles que fazem a diferença, e esses poucos já tinham dono!
Hoje nada disso acontece, bons jogadores para actuarem na Europa não faltam, a globalização da economia encarregou-se de empobrecer continentes inteiros, obrigando as respectivas populações a optarem pela emigração. Por isso, todos os dias desembarcam jogadores de futebol no aeroporto da Portela. Mas política à parte, a ansiedade que percorre as hostes azuis na expectativa de saberem quem será o próximo treinador, comprova que tenho razão no que escrevo. E ‘como o barato sai caro’, podemos poupar em tudo, menos no treinador.
Aguardemos então pelo fumo branco…
Saudações azuis.

xmlns:dc="http://purl.org/dc/elements/1.1/"

<< Home