segunda-feira, fevereiro 17, 2020

Dez reis de esperança!


Confesso que tenho andado esmorecido e que a fé na reviravolta já foi maior. Daí a pouca escritura. Porém este jogo no Bessa, em especial a capacidade demonstrada pelo treinador para reconstruir, emendar, amadurecer jogadores e principalmente motivar uma equipa castigada pelas sucessivas derrotas, tudo isso, fez renascer em mim uma réstea de esperança. Jogámos bem no Bessa, tal como já tinhamos feito antes, mas desta vez fomos mais intensos e estivémos mais concentrados. E marcámos um segundo golo, fundamental para ganharmos os três pontos.
Sobre a reconstrução basta olharmos para a defesa renovada onde Cafu Peth (central do lado direito) foi considerado justamente o homem do jogo! Sobre amadurecimento de alguns jogadores basta olharmos para a exibição personalizada de Show, desta vez sem levar nenhum cartão. Danny Henriques também se redimiu embora o primeiro cartão amarelo precise de revisão atenta – na primeira Liga as entradas de sola são quase sempre penalizadas. Ainda por cima a falta foi desnecessária. Outro jovem jogador que deu nas vistas foi Nilton Varela, assim como Cassierra. Este último apesar de um 'egoísmo' fatal que estou certo Petit não deixará de corrigir.
Aliás, e já que estamos a individualizar as exibições quero dizer que o colectivo é que de facto sobressaíu, e não pode ser de outra maneira. Foram apenas três ponto numa caminhada que se afigura difícil mas possível.

Resultado: Boavista 1 – Belenenses 2

Notas finais:

 
Vai por aí uma algazarra de todo o tamanho por causa dos incidentes em Guimarães, incidentes entre os adeptos vimaranenses e o seu ex-jogador Marega.

Primeiro ponto, não estive lá mas parece que é factual que Marega foi insultado, durante todo o tempo em que permaneceu em campo, e que os insultos, de vária ordem, incluiram, segundo dizem, apupos a imitar os símios. Tudo isto é condenável mas daí ao diagnóstico generalizado de racismo e ao histerismo condenatório subsequente, vai uma grande distância. É a distãncia entre a realidade e a demagogia. Entre a realidade e uma certa agenda política que todos sabemos qual é.

E passamos ao segundo ponto: - esta hipocrisia dá jeito a muita gente mas não resiste ao seguinte argumento: - se o pessoal de Guimarães é racista por que carga de água é que só Marega tem 'direito' às semelhanças com os símios?! É que havia mais pretos em jogo com a camisola do Porto!

E passamos ao terceiro e último ponto: - se pelos insultos e cânticos entoados pelas várias claques que temos, nos vários recintos desportivos que existem, quisermos tirar alguma conclusão sobre a actual mentalidade lusitana, o melhor é chamar todas as ambulâncias do mundo e os melhores psiquiatras do universo. Que dirão que não é racismo, não senhor, é alienação. Alienação geral, dos que cantam e dos que ouvem cantar.


Saudações azuis

terça-feira, fevereiro 11, 2020

Juízes de fora?! 'Deixa-me rir'!

O reboliço devidamente programado só começou no Domingo. A noite de sábado serviu para tomar rennies e outros anti-ácidos que explicassem a superioridade do FC Porto. Mas havia outras explicações mais importantes para dar, quer ao universo benfiquista, quer ao universo da bola. Explicações que têm a ver com a invencibilidade dos encarnados excepto quando defrontam o Porto ou alguma equipa europeia em jogos arbitrados por 'juízes de fora'!

Estranho fenómeno este! E por isso havia que passar ao ataque atropelando a realidade, seja com cortinas de fumo, seja com os habituais very lights! O pretexto foi um penalty assinalado, penalty que a maioria dos comentadores achou na altura indiscutível mas que no dia seguinte, já suscitava algumas dúvidas! Dúvidas se Ferro teria sido empurrado pelas costas! Isto a juntar à violência sobre o inocente Taarabt!

Nem de propósito apontei uma situação semelhante, mas essa sim, escandalosa, e que passou em claro no jogo da Luz contra o Belenenses - possível falta de André Almeida saltando por cima de Nilton Varela! Cuja sequência deu o segundo golo dos encarnados. E ainda o comportamento faltoso do argelino que deveria ter sido expulso também nesse jogo. Por isso é de um descaramento inaudito ouvir os cartilheiros especialistas em arbitragem a perorarem sobre regras e recomendações que apenas servem para proteger o nacional benfiquismo vigente. Por fim ouvir o Vieira a pedir árbitros estrangeiros para apitar o Benfica só pode dar vontade de rir!

Agora, que isto vai acabar mal, disso não tenho dúvidas. É o eterno problema de termos governos que frequentam os camarotes da bola, políticos que fizeram o seu tirocínio nas direcções dos clubes grandes, e juízes que recebem bilhetes de borla e acham isso normal! Depois disto falar da FPF ou da Liga é perda de tempo.


domingo, fevereiro 09, 2020

Difícil, cada vez mais difícil...

A história do jogo ficou definida no final da primeira parte e de certa forma contra a corrente uma vez que depois de uma entrada completamente falhada conseguimos equlibrar a contenda e até estávamos por cima. Mas o futebol é isto, um minuto fatal, decide tudo. Um erro individual seguido de outro colectivo, dois golos na nossa baliza, e o resultado estava feito. É certo que ainda faltava jogar a segunda parte mas sabendo da eficácia defensiva do Santa Clara e da ineficácia ofensiva do Belenenses, só um milagre podia alterar o nosso destino. E se juntarmos a pouca sorte da lesão de Nuno Coelho que obrigou a uma substituição prematura o cenário da reviravolta não era previsível.

Verdade que não consentimos outras oportunidades aos açorianos e que acabámos por construir duas ou três ocasiões flagrantes. Mas daí a marcar vai uma grande distância. Marco Matias, ainda com zero a zero falha de forma clamorosa. E já na segunda parte Cassierra erra o alvo de cabeça.

Conclusão: Petit tem pela frente um trabalho dificílimo, a saber: - reconstruir uma defesa que é a mais batida do campeonato; e construir um ataque que é o menos produtivo do mesmo. São números que indiciam a descida de divisão. Para evitar o precipício também nâo tem muitas armas. Para além da onda de lesões que tem acometido o plantel, os jogadores que vieram no mercado de Janeiro, os mais sonantes – Ruben Lima e Ricardo Ferreira - estavam parados há muito tempo, por isso vão precisar de tempo para ganhar ritmo. Por outro lado o recurso aos sub-23 envolve sempre o risco da inexperiência e dos erros que lhe estão associados. A que podemos somar a falta de estofo psicológico para enfrentar este momento delicado. Que ontem curiosamente afectou também aqueles que julgávamos mais experientes!

Vai ser difícil, muito difícil.

Resultado final: Belenenses 0 – Santa Clara 2


Saudações azuis

segunda-feira, fevereiro 03, 2020

A luz e as sombras


(As imagens)

Não tenho a BTV por opção e tenho pena de todos os papalvos que não sendo do Benfica a usam para ver jogos em que participe o clube encarnado. É sempre outro jogo e sempre a favor das águias. Por exemplo, vejamos o que aconteceu no recente Benfica-Belenenses, que o Benfica ganhou com alguma dificuldade e onde aparentemente não houve casos. Minto, houve um penalty e sendo contra o Benfica é sempre um caso. Pelas imagens disponibilizadas na altura (vi o jogo num restaurante) pode ficar alguma dúvida porque só numa delas, que passou rápidamente e nunca mais se viu, é que o contacto é perceptível. Por isso e para os 'cartilheiros' do dia seguinte foi um penalty forçado!

Outro lance que passou despercebido, filmado de longe e só com uma repetição, teve a ver com o início da jogada que termina em golo do Benfica. Existe uma carga de André Almeida* sobre Nilton Varela que as imagens exibidas não esclarecem se houve ou não falta. Como podiam gerar dúvidas desfavoráveis ao Benfica, siga para bingo, mas se fosse ao contrário ainda agora estávamos a ver repetições!

E termino esta reprise com Taarabat, jogador que não devia ter acabado o jogo. No lance com Gonçalo Silva, entrada de sola que o árbitro nem falta marcou, a BTV conseguiu dar a ideia que o faltoso tinha sido a vítima, ou seja, o defesa do Belenenses! Assim é mais fácil ganhar jogos. E só não percebo a apatia dos rivais – Porto e Sporting! E também não compreendo como é que em Portugal (e é só em Portugal) ainda se permite que um clube (o Benfica, claro) seja o responsável pelas transmissões televisivas da sua própria equipa! Só lhe falta ter árbitros próprios. Ou se calhar não falta se atendermos ao que dizem os emails.

(O jogo)

Sobre o desafio a única coisa que vale a pena dizer é o seguinte: - não existem vitórias morais e o Belenenses não precisa de elogios, precisa de pontos. No entanto olhando para trás não me lembro de um jogo tão equilibrado entre o Benfica e o Belenenses! Já houve outros, em que até conseguimos conquistar pontos, mas não foram tão divididos. E sem aquele primeiro golo, infantilmente consentido, e o segundo, talvez precedido de falta, não sei...
De qualquer modo para pontuar na Luz não podemos sofrer três golos.

(O futuro próximo)

Vai ser uma guerra! Cada jogo é uma final , as equipas estão muito equilibradas, e todas elas se reforçaram. Petit já pôs o dedo na ferida, nas fragilidades azuis. O Belenenses tem que parar de sofrer golos em todos os jogos. A defesa foi a prioridade, nomeadamente o jogo aéreo, desde o lado esquerdo á cabeça da àrea. É por lá, que aparecem os golos – Déner (Portimonense) saltou à vontade e Taarabat (Benfica) rematou sem oposição. Até à última hora ainda esperei por um médio ofensivo (Francisco Geraldes era o meu preferido) mas não deu. Falou-se no empréstimo de Mateus Oliveira mas não é o jogador consistente e guerreiro que precisamos. Vamos ter que que trabalhar com a prata da casa.

Nota final: Os sub 23 morreram na praia. Já era esperado. Não temos jogadores de meio campo capazes, que agarrem o jogo e assegurem a transição com um mínimo de qualidade. E os avançados ressentem-se. Além do mais há ali muita gente que se agarra demasiado à bola. E muita imaturidade. A excepção é Luís Silva que merece oportunidades na equipa principal. Robinho tem quem crescer mentalmente e aprender a rematar á baliza. Em resumo, o Rio Ave foi superior e ganhou naturalmente.


Saudações azuis

*O que era preciso esclarecer, e as imagens não quiseram esclarecer, teve a ver com o braço e cotovelo de André Almeida - se atingiu ou não Nilton Varela! Só isso, mais nada. Na sequência do lance a bola sobra para Taarabat que remata e faz o segundo golo do Benfica. 

terça-feira, janeiro 28, 2020

Mercado – os meus palpites!


Ruben Lima foi uma contratação acertada, acho que em tempos falei dele, e vem preencher uma fragilidade do lado esquerdo defensivo. Com as devidas reservas, a memória já não é o que era, fez parte da equipa do Moreirense treinada por Ivo Vieira e que na época 2018/2019 tanto se notabilizou. Do Ruben Lima, defesa esquerdo, guardo na memória um corte magistral impedindo que Filipe, central do Porto, concretizasse! Entretanto esteve parado, ao que julgo, porque não quis renovar contrato.

Mas já que falamos no Moreirense, jogava também nessa equipa um médio brasileiro, de seu nome Ângelo Neto, que era mesmo o tipo de jogador que precisamos para preencher uma grande lacuna no nosso meio campo. Grande intensidade, experiência, era o pulmão daquela equipa. Pena que esteja a jogar nas arábias.

E já agora, também no oriente, neste caso na Turquia, parece que um tal Hugo Vieira, terá terminado a sua ligação ao Sivasspor. Lembro-me que era um avançado talentoso e com faro pela baliza.

Em suma, um defesa, um médio e um avançado, três jogadores com provas dadas, que é aquilo que precisamos nesta altura. Um já está, e o Petit, homem do futebol, há-de conhecer os outros.

Saudações azuis

segunda-feira, janeiro 27, 2020

Finalmente!


Antes do mais realçar as declarações deste treinador, quer antes do jogo, quer no final do mesmo. Antes já havia definido claramente os princípios e o modelo que pretende desenvolver, assim como as necessidades do mesmo. Com sentido prático, sem fantasias, tocando em alguns pontos importantes como a falta de experiência em posições chave, e colocando no seu devido lugar algumas expectativas exageradas sobre os jovens oriundos dos sub 23.

E as declarações após a partida de ontem também me agradaram! Sóbrias, realistas, tal como foi realista a exibição realizada e que nos deu uma vitória importante na luta pela permanência. Petit disse tudo em poucas palavras. Ainda assim deixo algumas notas:

A primeira vai para o infortunado Tomás Ribeiro um dos jovens em destaque esta época, e que devido a lesão grave no treino de sexta-feira não pôde dar o seu concurso à equipa. Daqui lhe dedico estas palavras de apreço e de rápida recuperação.

A segunda vai para Silvestre Varela de quem tenho sido muito crítico e que desta vez realizou uma boa exibição. Uma exibição consistente. Já é trabalho de Petit?!

Terceira nota para o espírito de luta, até à exaustão, de todos os que jogaram, embora de futuro, e com a equipa noutro lugar na tabela, seja obrigatório esperar outro tipo de desempenho.

A quarta é para Luís Silva, um jovem central mas com futebol adulto, que embora tenha jogado apenas alguns minutos, mostrou que merece mais oportunidades. É um defesa que 'tem golo'.

Resultado final: - Belenenses 2 – Portimonense 1


Saudações azuis


Nota: Soube das conversações entre a SAD e o Clube sob os auspícios da FPF no sentido construtivo de resolver o diferendo existente. Sempre defendi que só há um Belenenses e que esta divisão é artificial e pouco tem a ver com os superiores interesses deste clube centenário. Para já fico-me por aqui.

quinta-feira, janeiro 23, 2020

A importância dos treinadores


O futebol tornou-se aparentemente um jogo complicado, cheio de sábios à sua volta, paleio sem fim, mas no fim volta tudo ao princípio. E volta porque o futebol é um jogo simples. Só assim se compreende que haja tanta gente a discuti-lo. É simples mas tem os seus pormenores. Por exemplo, o que dizem os sábios sobre o Braga de Ruben Amorim! Qual a explicação?! Um Braga com os mesmos jogadores que o de Sá Pinto, mas agora com uma eficácia tremenda!

Outra questão que de certa maneira é a mesma: - porque é que o Porto tem tanta posse de bola e ela é tão pouco produtiva?! Dois exemplos, dois enigmas, muitos palpites, mas a verdade é que Amorim resolveu o problema e só joga com um ponta de lança(Paulinho)! Sérgio Conceição joga com mais (Soares e Marega) embora com desvantagens técnicas evidentes. Quer Soares quer Marega, quando recuam no terreno, são mais perigosos para a sua própria baliza que para a baliza adversária!

E que dizer do Belenenses, que já vai no terceiro treinador esta época (a 'maternidade´ afinal virou creche) e cujo goal-average é simplesmente aterrador! Há pouco a dizer e o melhor é esperar que Petit descubra a forma de dar a volta á situação. Ainda assim convém não esquecer que faltam poucos dias para o fecho do mercado e o Belenenses precisa de se reforçar. 

Convicção que reforcei depois de ver o último jogo dos sub 23 (derrota em Odivelas com o Portimonenses por 1-2). Aí, a raiz da ineficácia, em especial durante a primeira parte, esteve no meio campo. O Portimonense, mais colectivo, assegurou o domínio do jogo. É certo que depois de termos chegado ao empate, consentimos o segundo golo de forma infantil e com os efeitos psicológicos que se adivinham. Mas no cômputo geral os algarvios foram superiores. E isso deveu-se ao trabalho colectivo dinamizado pelo seu meio campo. O futebol é um jogo simples mas precisa de jogadores que saibam jogar. 

Saudações azuis