domingo, agosto 21, 2016

Crónica curta

Não vi os primeiros vinte minutos mas isso também não interessa. A minha ideia sobre a equipa está mais ou menos formada. Os aspectos defensivos estão mais sólidos, há melhorias no jogo aéreo, embora tenhamos consentido um cruzamento muito perigoso que Ventura desfez com grande defesa. Mas aqui temos que dar mérito ao Boavista que tem um jogador que marca livres com mestria. A luta pela posse de bola também melhorou e Rúben Pinto parece querer assumir-se como armador de jogo, uma boa notícia, dada a importância de ter um jogador devotado a tais tarefas. Veja-se o caso do nosso adversário que tem Fábio Espinho, um bom centro campista, e cujo labor ainda causou (na parte final do desafio) alguns calafrios aos adeptos azuis. Aos adeptos e ao treinador Velasquez que se apressou a substituir André Sousa, que já não defendia, fazendo entrar Luís Silva para equilibrar a equipa. E mais tarde, para salvar um ponto, resguardou-se com Mica Pinto no lugar do avançado Andric! E fez bem.

Portanto, se é verdade que criámos mais ocasiões para marcar que o Boavista, e eu valorizo sempre a criação de oportunidades, não é menos verdade que abrimos alguns corredores, nomeadamente no flanco esquerdo defensivo, que podiam ter sido fatais.

Resumindo, há progressos em relação ao jogo de Setúbal, e ganhámos um ponto a uma equipa com a preparação mais adiantada e muito perigosa nas bolas paradas. Sem falar do aspecto perturbante de não termos jogadores suficientes para preencher o banco!
Aguardemos com esperança os próximos jogos.



Saudações azuis

segunda-feira, agosto 15, 2016

Uma equipa teórica!

Uma série de nomes, talvez escolhidos na base de um qualquer ranking, destreinados, apareceram de azul no Bonfim com aquela particularidade irritante da bandeirinha republicana, a despropósito!

O meio campo, quem era?! Palhinha a jogar de fato de cerimónia, atrasava a bola! Ruben Pinto sem lugar certo, parecia incapaz de pegar na equipa. Miguel Rosa, lutador é verdade, mas que não levanta os olhos do chão, e um miúdo (Benny) que passado o espanto inicial parecia ser o único com alguma capacidade para segurar na batuta. Pois foi o primeiro a ser substituído!

De resto as paralisias habituais e a falta de discernimento. Para cúmulo dois momentos desfavoráveis e reveladores de pouco respeito pelo nosso emblema: - Um árbitro a marcar um penalty inexistente logo a abrir a partida. E um defesa central a sair para receber assistência numa altura super inoportuna. Resultado – dois a zero!

Houve alguma reacção, mas a nossa fragilidade atacante é demasiado evidente, e o Vitória de Setúbal defendeu-se bem.
Está feita a história de uma partida mal jogada por ambos os contendores, e onde o arreganho vitoriano, com a ajuda do árbitro, acabou por levar a melhor.

Quanto ao Belenenses, para além da indefinição de quem entra e quem sai do plantel, tem que jogar mais e para isso tem que ter meio campo. Ou seja, quem pegue na batuta… sem perder a bola de imediato.



Saudações azuis

quinta-feira, agosto 11, 2016

Boas e más noticias

Anda a gente a fugir uma vida inteira ao verde e encarnado (até mais que uma vida) cores que a república impôs ao país sem perguntar nada a ninguém, e toma lá uma 'homenagem' verde rubra na camisola do Belenenses! E mais uma vez sem perguntar nada a ninguém! Há mil maneiras de homenagear a selecção de futebol, mas esta, quanto a mim, é bastante duvidosa. E vou fazer de conta que aquilo são as cores da fundação da nacionalidade - o azul da Cruz em fundo branco! Para quem se lembra do Fundador! Ou para quem sabe quais são as cores de Portugal!

Depois da patetice vieram então as boas notícias - o presidente da SAD a animar as hostes prometendo uma equipa muito renovada mas competitiva e sobre esse aspecto quero acreditar que sim. Aliás não faria sentido que fosse de outra maneira. De facto esta época vai ser fundamental para cimentar o prestígio da SAD entre os adeptos. Ou não!


Saudações azuis


Nota: Eu sei que as cores da bandeira republicana são o verde e o encarnado. Mas também sei que a república foi buscar essas cores à bandeira da Carbonária, braço armado da maçonaria, e para todos os efeitos uma organização terrorista. Portanto, por mais que me esforce não me consigo esquecer disso. Acontece que essa bandeira nunca foi referendada, foi imposta à força, e pior do que isso, aquela imposição visava apagar as cores históricas de Portugal. Nestas condições porque hei-de eu aceitar aquela imposição?! Claro que não aceito. Além da estética, claro.

domingo, agosto 07, 2016

Calor e algumas dúvidas!

O Belenenses não é um clube fácil de seguir para quem não seja frequentador do facebook. E mesmo que seja, a diversidade e quantidade de palpites é tanta, que em lugar de ficarmos a saber mais ficamos a saber menos! Depois temos o calor, e a nossa comunicação social a suar as estopinhas para ‘vender’ os jogadores invendáveis de Benfica, Sporting e Porto! Pelo menos ao preço pretendido. Quanto às 'compras' e tal como tinha referido anteriormente só em saldos e a caminho da terceira idade! É o grande avançado que vem para o Sporting, já idoso, e que afinal não vem! É o grande central que vem para o Porto, também idoso, e que chumba nos testes físicos! É finalmente a azáfama maior com a colocação dos excedentários do Benfica, a fim de reduzir a pornográfica folha salarial do clube da Luz!

No Belenenses também há muita indefinição e alguns tiros no escuro! Tiro no escuro será sempre a contratação de alguém que já não joga há muito tempo, que chega, e se lesiona de imediato! Refiro-me naturalmente ao Yebda. Mas quero também reafirmar que mantenho a confiança na equipa técnica e não me deixo abater com resultados de pré-época. Espero, isso sim, que Velasquez esteja a fazer uma revolução silenciosa no plantel, dentro da filosofia de jogo em que acredita, mais tecnicista, e com um futebol mais apoiado. Mas para isso é preciso jogadores com alguma qualidade, ou seja, que substituam a contento aqueles que saíram. Refiro-me especialmente à zona nevrálgica do terreno, onde pontificavam Bakic e Aguilar. Mas falta também, aliás já faltava, um central experiente e destro. Quanto ao resto, a falta de golos não me assusta, eles virão desde que a equipa esteja a carburar bem de trás para a frente. Preocupam-me mais os golos sofridos, tremenda fragilidade na época transacta.

Quero ainda referir o seguinte: Se bem percebi, Velasquez está a gostar de Abel Camará, situação que me agrada sobremaneira uma vez que não convém desperdiçar pontas de lança (que temos em casa) tal é a carestia dos mesmos.

Saudações azuis


Notas finais:
1.     Dar os parabéns ao Lito Vidigal que vem provando ser um grande condutor de homens, que é afinal o papel de um bom treinador.

2.      Por falar em condutor de homens aí temos Rui Jorge que em pouco tempo, e sem estrelas, preparou uma equipa olímpica que se portou como uma verdadeira equipa. O maior elogio veio do treinador argentino! 

segunda-feira, agosto 01, 2016

Apertar o cinto!

A palavra de ordem, já se percebeu, é apertar o cinto, muito embora jornais e jornalistas, verdadeiras agências de negócios fabulosos, continuem a congeminar grandes transferências, mas desta vez lá para fora! Mas lá fora a penúria é a mesma.
Aliás o discurso dos ‘três grandes clubes falidos’ já mudou e é vê-los a tentar despachar ‘grandes craques’ mas que hoje estão a mais na ‘estrutura’ para não dizer outra coisa. Resumindo, andam todos em saldos. Por exemplo, quem é que imaginaria que Boly, meio suplente do Braga, fosse afinal a grande aspiração do Porto para o centro da defesa! E note-se que aprecio bastante aquele jogador.

O Sporting, por mais voltas que dê ao orçamento, não tem dinheiro para manter um goleador a sério, quanto mais dois! E como se sabe, e está amplamente demonstrado, num campeonato como o nosso ganham as equipas que dispõem dos melhores artilheiros. Pois são eles que acabam por resolver os jogos difíceis, encalacrados, contra as equipas pequenas. Foi assim com o Porto de Jardel e Falcão, já foi mais difícil com Jackson que falhava muito, e não foi obviamente com Aboubakar. André Silva é ainda muito jovem e assim chegamos ao candidato mais forte, que é o Benfica. Isto, claro, se conseguir manter os arietes Jonas, Mitroglu e Jimenez, jogadores claramente acima da média nacional, e que só cá estão porque os bancos também foram à falência.

Traçado o destino do campeonato português, cada vez mais desigual, cada vez menos competitivo, chego então ao Belenenses onde para além das lesões pouco mais se sabe. Mas a onda terá que ser a mesma – apertar o cinto. É assim que vou tomando conhecimento da chegada de jogadores de divisões inferiores, com alguma incidência no mercado espanhol, tendência que se irá acentuar, ou não fosse a Espanha a união europeia a que temos direito. Tal como na anterior experiência filipina.

Saudações azuis


Primeira nota: Gostei de ouvir o Nuno Capucho, actual treinador do Rio Ave, defendendo sem peias uma indústria do futebol minimamente viável e não esta reduzida a três clubes.


Segunda nota: O Turismo de Portugal convidou o adepto francês que foi consolado por uma criança portuguesa após a derrota no campeonato da Europa, a visitar o país. As imagens correram mundo, foi bonito, até aqui tudo bem. O problema, quanto a mim, aconteceu quando o roteiro da visita incluía o estádio da Luz e o museu do Benfica! O Turismo de Portugal é pago com os nossos impostos, o adepto francês não era com certeza benfiquista desde pequenino, e mesmo que fosse, pergunta-se então se o Benfica também faz parte da propaganda dos organismos oficiais?! Enfim, o nacional-benfiquismo no seu melhor e o director do turismo de Portugal, a esta hora, ainda deve permanecer na sua inocência!

quinta-feira, julho 28, 2016

Trocas e baldrocas, negócios escuros!

Ninguém quer saber disso para nada e o povo vai emparvecendo. De parvo. Hoje, no café habitual, um alienado, sabendo-me belenense, informava-me todo satisfeito que o Benfica tinha feito mais um grande negócio, desta vez com o Bakic. O rapaz não tem culpa, limita-se a reproduzir aquilo que vê estampado nos jornais. Efectivamente os media em Portugal não fazem outra coisa senão exaltar os magníficos negócios que o Benfica vai fazendo como se tudo o resto fosse uma cambada de otários! Um dia, se estiver com paciência, talvez lhe explique que os negócios têm pelo menos duas partes, e talvez acrescente que no caso concreto do Bakic a ‘negociata’ andará ligada ao empréstimo do bracarense Danilo ao ‘seu’ Benfica. Mas como não estava nesses dias (da paciência) cortei a vaza e destrunfei o pobre coitado: - vê lá mas é se pagas o que deves ao Novo Banco que a gente precisa de vender aquilo o quanto antes! E sabes porquê?! Para não termos que pagar (todos) mais impostos! O rapaz calou-se surpreendido mas eu descobri que a palavra ‘imposto’ não soa da mesma maneira aos ouvidos dos portugueses! Para uns não soa a nada, habituados que estão a terem dinheiro para tudo menos para serem colectados!

Assim, passado o espanto inicial voltou à carga com a ‘riqueza’ do Benfica capaz de dar não sei quantos milhões pelo Jiménez! Calei-me, a doença é nacional, tenho chamado a atenção para ela neste espaço, mas em vão.

Responsabilidades para este adensar de negócios mirabolantes, cada vez mais obscuros, podíamos pedi-las aos Clubes, à Federação, à Liga, ao Governo, mas para quê?! Se a trapaça é o estado natural deste país.



Saudações azuis


Nota: Responsabilidades para a alienação galopante?! Talvez o Serviço Nacional de Saúde?! Talvez o mau exemplo de cima?! Talvez.

terça-feira, julho 26, 2016

Calor e noticias moles...

Noticias entusiasmantes precisam-se! Refrescantes de preferência, que este calor não puxa para a bola. Até à data as notícias andam à volta das lesões, desde o nariz à coxa esquerda e não saímos disto. Fazem-me lembrar tempos idos onde as únicas novidades sobre o Belenenses não eram novidades. Resumiam-se às melhoras ou pioras deste ou daquele jogador, sempre em convalescença! Ás vezes, a cortar um pouco a monotonia do assunto, acrescentavam-se os inevitáveis dias de folga! Tempos idos, como disse.

Aliás, há um ditado antigo que diz - 'pas de nouvelles, bonnes nouvelles' - e nesse sentido aguardemos serenamente pelo principio do campeonato. O que eu sinceramente espero é que as mais recentes aquisições (Yebda e Lorente) venham a ser reforços efectivos, os reforços esperados para colmatarem as ausências já anunciadas. 

Uma boa noticia para os belenenses li-a ainda há pouco e tem a ver com o Bakic! Terminou, aparentemente, o seu périplo pelos vários clubes nacionais! Termina assim o acinte contra a nossa impotência contratual e terminam ao mesmo tempo as cansativas viagens entre a segunda circular e Braga, pois ainda são uns quantos quilómetros! Se a notícia for verdadeira, fez bem a Fiorentina em pôr fim a estas viagens... na minha terra!

Saudações azuis