segunda-feira, abril 04, 2016

Tudo pelo futebol, nada contra o futebol!

O Belenenses é, desde que nasceu, a sua equipa principal de futebol. Primeiro os jogadores, depois os adeptos. O resto veio por acréscimo. Foi o futebol que lhe deu o estatuto de grande (quarto grande já é descer) e é o futebol que lhe dá a importância que ainda tem. Quando deixar de ser esse o norte, a essência do clube, o velho Belenenses morreu. Desse Belenenses há-de ficar apenas uma memória, uma estátua, e um banco no jardim do império. Aliás, ali bem perto temos o CIF (Clube Internacional de Futebol) agremiação por quem tenho estima e que começou por ser uma equipa de futebol, ombreando com os maiores, e é hoje um clube de ténis, que mantém simbolicamente um campo de futebol. Será isso que queremos para o Belenenses?!

Depois dos últimos acontecimentos, surreais, é preciso que alguém, com sentido de responsabilidade, relembre que o papel da direcção, dentro do actual regime bicéfalo, só se justifica se for uma boa retaguarda, um ponto de apoio para o desempenho da equipa de futebol. É nisso que deve consumir as suas energias. Se pelo contrário se constitui como um obstáculo (cortes de luz que atingem a preparação dos jogadores!) a sua existência deixa de fazer sentido. E em nome do amor ao clube que diz ter, deve afastar-se. Não é a prometida solução de apaziguamento, passou a fazer parte do problema.

O silêncio que entretanto se abateu sobre o Restelo e calou os outros órgãos sociais do clube também é estranho. Se é para não perturbar mais a equipa em vésperas de um jogo importante, até posso compreender, mas se não for assim… estamos pior do que eu julgava.

Uma última palavra para aquilo que interessa, para os rapazes que envergam a camisola com a Cruz de Cristo e hoje à noite vão tentar manter viva a velha rivalidade contra o Sporting: - para eles vai a minha esperança de um grande resultado. Um resultado que mantenha a chama que alguns tentam apagar.

Saudações azuis


Nota: Aprecio sobremaneira as boas exibições e resultados que o futebol de formação vem obtendo, fruto de um trabalho que parece estar no bom caminho. Mas isso não pode ser utilizado como propaganda ou arma de arremesso da direcção. É o que se espera que aconteça sempre no Belenenses. Quando não acontece é que está mal. Mas que fique claro: - o Belenenses pode subsistir sem a formação, mas não sobrevive sem uma equipa sénior competitiva.

E a comprovar o que afirmo chamo a atenção para dois factos: - no ano em que os nossos juniores obtiveram a sua última grande perfomance (fomos vice-campeões nacionais) coincidiu com o ano fatídico em que descemos pela primeira vez à segunda divisão. Um golpe quase mortal na vida do Belenenses e do qual ainda não recuperámos. Esta evocação também serve para reflectirmos com o maior realismo sobre o seguinte: - em juniores, quem vai à frente é o Paços de Ferreira! Um forte concorrente também em seniores e não me consta que disperse a sua actividade noutras modalidades. Para bom entendedor…

xmlns:dc="http://purl.org/dc/elements/1.1/"

<< Home