domingo, maio 06, 2018

Vitória do querer!


Não sabemos se esta foi a última vitória no Restelo ou se foi a primeira de muitas que nos levarão ao topo! Mas isso para mim pouco interessa porque continuo a afirmar que o Belenenses jogue onde jogar terá sempre atrás de si os seus verdadeiros adeptos. Já o vi jogar nas Salésias, no estádio nacional quando o Restelo estava em obras e por isso, enquanto for possível, posso vê-lo a jogar na China se for esse o caso.

O que importa é que tenhamos o essencial: - onze jogadores de Cruz ao peito, honrando o símbolo e a sua história e uma equipa técnica que transmita a mística belenense. O resto tem que vir por acréscimo.

Quanto ao jogo de ontem o que podemos dizer é que foi mais um passo no sentido ascendente, um passo difícil é certo, mas um passo! Não é fácil recuperar duas vezes no marcador perante uma equipa que tem nas suas fileiras jogadores fora de série como o japonês Nakajima! Que quase sozinho pode desequilibrar qualquer contenda. É claro que contra este tipo de jogadores não podemos dar avanço! Não é Fredy?!

A perder logo desde início soubemos no entanto reagir, Silas teve que fazer alguma coisa porque defrontar o ataque do Portimonense com a nossa defesa em contra pé… não dá. Mas isso são questões técnicas e eu confio plenamente naquela dupla que temos no banco a orientar a equipa.

Na segunda parte e com as alterações feitas a equipa melhorou, criou mais oportunidades, conseguindo algum ascendente. Nestas condições o resultado final acaba por ser justo. E há uma nova realidade no futebol azul: - o Belenenses actual cria muitas oportunidades de golo e isso faz toda a diferença.


Análise individual:

Muriel – Regressado á baliza depois de uma longa paragem mostrou estar à altura das necessidades. Tem muita experiência e transmite confiança. Um senão – é um esquerdino total e por isso sente muitas dificuldades quando lhe atrasam a bola para o seu lado direito. À atenção dos nossos defesas.

André Geraldes – Tarda em ser aquele Geraldes rápido e decidido que conhecemos no primeiro ano em que vestiu de azul. Acabou por ser substituído por Pereirinha.

Sasso – Esteve bem a defender mas falhou alguns passes simples que não pode falhar.

Nuno Tomás – Cumpriu. Pareceu-me um pouco pesado.

Florent – Muito bem a atacar mas foi pelo seu lado que o Portimonenses ameaçou durante a primeira parte. A dobra do meio campo ou do terceiro central podem ter falhado. De qualquer maneira está em grande forma e quando começar a marcar golos…

Persson – O melhor dos centrais/médios! É um patinho feio mas Silas tem apostado nele. Sóbrio e sempre concentrado vai fazendo o seu trabalho. Com a sua altura tem que marcar golos nas bolas paradas.

Benny – Não conseguiu impor-se como se esperava. Silas parece contar com ele para o futuro Belenenses. Até porque é dos poucos que ‘tem golo’. Foi substituído por Nathan.

Sousa – Uma tarde pouco propícia. Um bom sentido táctico mas não chega. Algumas falhas na transição e pergunto: - Há quanto tempo não marca um golo de meia distância?!

Freddy – Duas partes distintas. Na primeira parte falhou muitos passes alguns dos quais comprometeram o esforço colectivo. Melhorou no segundo tempo e serviu Nathan de forma magistral na jogada do segundo golo. Mas tem que corrigir falhas só admissíveis em principiantes.

Licá – Gosto de ver jogar Licá, gosto da maneira como se desmarca, sempre disponível para acorrer aos lançamentos compridos, Se for bem servido pode render muito mais.

Maurides – Tem que puxar sempre a bola para o lado esquerdo e isso prejudica a conclusão de alguns lances. Concretizou duas grandes penalidades ao estilo Pelé … ex-belenense!

Nathan – deu a volta ao jogo atacante do Belenenses. Parece é que tem poucas pilhas.

Pereirinha – Entrou para o lugar de Geraldes e cumpriu.

Saré – Para segurar o resultado.


Resultado final: - Belenenses 3 – Portimonense 2



Saudações azuis

xmlns:dc="http://purl.org/dc/elements/1.1/"

<< Home