sábado, maio 19, 2018

Entretanto, noutro país…


Longe dos holofotes, no pequeno espaço que lhes é reservado, os outros clubes da Liga começam a preparar a nova época. Em silêncio porque ninguém se quer meter na zaragata. Esperam naturalmente que tudo acalme até porque estão dependentes dos saldos e empréstimos para comporem o plantel. O Belenenses não foge á regra muito embora eu tenha verificado que há um esforço da SAD em não se deixar capturar, como aconteceu no passado recente, por nenhum dos eucaliptos. Aliás não pode ser outro o caminho do Belenenses. Aquilo que verdadeiramente distingue os grandes clubes, tal como os grandes países, não é a dimensão, é a independência.

Olhando agora para a nossa casa e pela informação disponível constata-se que há vontade em manter Licá o que desde já aplaudo. Trata-se de um jogador que já esteve em alta e por isso tem condições para recuperar a antiga condição.

Outro caso de continuidade que também aplaudo é a renovação do empréstimo de Nathan. É um jogador especial, fora do comum, e pode ser que no Restelo revele toda a sua potencialidade.

A outra questão que gostava de saber diz respeito à recuperação física de Tandjigora. Sofreu uma lesão grave e não sabemos quando estará de volta. É uma dúvida importante porque é um jogador fundamental para atacarmos a próxima época.

Sobre a questão dos passes partilhados a minha opinião mantém-se. É uma matéria complexa e que me parece ter os mesmos inconvenientes dos empréstimos. A federação e a Liga não podem continuar a facilitar. A integridade das competições é o valor fundamental. Voltaremos ao assunto.

Saudações azuis



Nota: Um dos temas mais candentes no futebol português é a captura dos pequenos clubes pelos grandes. O G15 pretendeu a certa altura ser o arauto de uma revolta contra este estado de coisas. Mas perdeu gaz e parece ter sido instrumentalizado. Digo isto porque a única reivindicação que pode mudar o panorama actual de dependência passa pela centralização dos direitos televisivos  e por uma distribuição mais equitativa dos proventos. Ora não sendo esta a bandeira do G15 todas as outras reivindicações perdem importância. E nestas condições a corrupção e a batota vão continuar.

xmlns:dc="http://purl.org/dc/elements/1.1/"

<< Home