quinta-feira, agosto 03, 2017

Ovos e omeletas!

Mais uma vez tenho de me socorrer dos olhos dos outros para tentar perceber o que se está a passar no Belenenses. Melhor seria ter ido ao Restelo mas por enquanto não tenho possibilidades de lá ir. Está muito calor e ainda estou a trabalhar… de noite. Seja como for a crónica do Barradas na Comunidade Azul parece um bom retrato até porque a dita comunidade é insuspeita de ‘boa imprensa’ em relação à SAD. Assim, por entre as linhas, vou percebendo tudo. E o que é tudo?! Vamos começar pela galinha: -

Depois de ter perdido quase todos os jogos na recta final da época passada, com a honrosa excepção da vitória em Alvalade, urgia solucionar duas questões essenciais – o Belenenses não marcava golos e acabava por sofrer um golito, mais ou menos consentido e perdia o jogo.
Para resolver o problema a SAD fez recentemente uma série de aquisições mas o problema mantém-se! Já vamos em cento e oitenta minutos sem marcar um golo!

Eu sempre disse que parte do problema residia a meio campo onde não existe um centro campista a sério, que pense o jogo, que saiba acelerar e temporizar, e que sobretudo não perca a bola fácilmente. Não tínhamos lá disso e pelos vistos ainda não temos. André Sousa não tem esse perfil, e já agora, para que conste, o Tiago Silva, e pese os progressos sob a direcção de Nuno Manta, ainda não é esse jogador. Temos o Benny que necessita de progredir nessa posição e adquirimos o Chaby que está nas mesmas condições. Era pois necessário contratar um jogador experiente com classe e isso custa dinheiro. Mas vale a pena porque se traduz num investimento seguro e com reflexos em toda a equipa. É claro que quem não tem cão, caça com gato e assim envolve uma série de jogadores nessa função tentando por essa via solucionar o problema.

Mas o problema real da falta de golo está sempre no ataque e o Belenenses há muito tempo que não tem um homem golo. Basta olhar para os melhores marcadores do campeonato e nunca lá aparece a Cruz de Cristo. Meyong, se não me falha a memória, foi o último artilheiro azul. E hoje o que temos?!

Temos o Maurides, que é perigoso no jogo aéreo, mas não é um homem golo. Temos o Juanto, que talvez seja o mais parecido que temos com um homem golo, e se eu fosse o Domingos perdia algum tempo a pô-lo a jogar à Domingos Paciência dos bons tempos. Com o número nove nas costas. E temos o Jesus Hernandez que tal como eu vaticinei ainda precisa de adaptar-se ao futebol europeu. Miguel Rosa sabe jogar na área mas também precisava do treinador certo e se calhar não há tempo para isso. E acabamos sempre no Caeiro…

Conclusão: - os goleadores são muito caros e todos percebemos porquê. Um exemplo: - se o Belenenses ontem tivesse jogado pior do que jogou mas o Jesus Hernandez tivesse aproveitado as duas boas oportunidades de que dispôs, hoje todos diriam que estávamos no bom caminho!

Sobre a defesa há que dizer apenas o seguinte: - ou Sasso é o central fiável e experiente de que precisávamos ou não é! Se não é, precisamos de um central nessas condições.

Uma última nota sobre o jogo com o Estoril: - pelas crónicas que li, há unanimidade em relação a Tandjigora - foi uma aquisição promissora! Jogador de alta rotação, polivalente, é disso que precisamos.


Saudações azuis


Nota básica: Os dois novos recrutas brasileiros, Cleylton e Roni, precisam naturalmente de tempo para se adaptarem. Especialmente o central.

xmlns:dc="http://purl.org/dc/elements/1.1/"

<< Home