segunda-feira, agosto 07, 2017

O vídeo árbitro dos eucaliptos!

O vídeo árbitro em Portugal é um acto de cobardia. Sempre o disse e mantenho. A Federação, sem capacidade, e possivelmente sem vontade, de enfrentar os batoteiros e a batota institucionalizada, ensaiou uma fuga em frente, a fingir inovadora, e lança-se na aventura do vídeo árbitro! Uma aventura solitária pois na Europa é apenas acompanhada pela Holanda! Isto diz muito sobre a receita escolhida e nem vou fazer considerações ou comparações com a Holanda. Mas sei que na Holanda não há clubes a deverem monstruosidades à banca nem tratamentos de excepção entre os vários emblemas.

Mas voltemos ao vídeo árbitro e às razões da sua precipitada introdução: - é mais que certo que o vídeo árbitro apenas beneficiará Benfica, Sporting e Porto e por esta ordem. E que nos confrontos entre eles o jogo há-de estar mais tempo parado, em consultas, do que a decorrer. E vai uma aposta?! Quanto aos outros clubes e pelo que se viu na supertaça entre Benfica e Guimarães os jogadores encarnados podem continuar a entrar às pernas dos adversários, por trás e de qualquer maneira, que nada lhes acontecerá! Não é assim Jardel?! Não é assim Luizão?! Etc. Etc. Etc.! O lance do Jardel foi repetido mas nem assim os vídeo árbitros o conseguiram ver na televisão!

Nesse mesmo dia, em Wembley, na final da Supertaça inglesa disputada entre o Chelsea e o Arsenal, não havia vídeo árbitro mas o árbitro expulsou o Pedro Rodriguez do Chelsea por uma entrada por trás, uma entrada muito semelhante à do Jardel. Conclusão, o problema não tem a ver com tecnologia mas com coragem e verdade desportiva.

Saudações azuis



Nota: Penso que o vídeo árbitro pode vir a ser útil mas não para resolver problemas fora das quatro linhas e que estão à vista de todos. E que ninguém tem coragem de os enfrentar.

xmlns:dc="http://purl.org/dc/elements/1.1/"

<< Home