quinta-feira, setembro 07, 2006

O Livro Cinzento

Estou com o ex-ministro Arnaut, também gostaria de ter sido convidado pela Europa a elaborar um Livro Branco do futebol, no sentido de averiguar sobre os riscos que ameaçam a sua verdade desportiva.
Quando o ouvi desbobinar as patifarias que o cercam – empresas de apostas sem pátria que patrocinam campeonatos, sociedades anónimas que são accionistas de vários clubes, tráfico de influências, jogos combinados, arbitragens duvidosas, empresários suspeitos, enfim todo um mundo de corrupção espreitando o momento para se lançar sobre a presa – juro que quando o ouvi, tudo aquilo me soou familiar, não muito longe desta santa terrinha onde habito! E tive vontade de interromper o jovem discurso, tão destemido defensor da verdade do futebol, para dizer simplesmente isto:
Caro deputado, escusava de se ter dado ao transtorno da Europa, das viagens cansativas, das despesas inúteis, pois teria Vossa Excelência mesmo ao pé de casa, os problemas e os desvios que procura lá fora! Eu próprio me comprometo a fornecer-lhe alguns dados e pistas, cabendo então a Vossa Senhoria fazer o necessário cruzamento da informação entretanto recebida.
Depois desta revelação estou certo que o deputado Arnaut concordaria em analisar o seguinte:
- Portugal, país do extremo ocidental da Europa, tem três clubes apurados para a ‘Liga milionária’, que correm o risco de ser impedidos de participar se a FIFA levar por diante a ameaça de suspender a FPF. Foram entretanto inventariados e divulgados os possíveis prejuízos que atingem números astronómicos para a nossa realidade!
- Portugal, país do extremo ocidental da Europa, tem três clubes que se eternizam nos lugares de acesso à Liga milionária e que contam absolutamente com essas receitas (extraordinárias!) para amenizarem os monstruosos défices acumulados.
Para que conste, há mais de sessenta anos que apenas o Boavista e por uma vez, conseguiu intrometer-se nos lugares de acesso à Liga dos campeões! Também para que conste informo que no ano em que o Boavista foi campeão, eram presidentes da Liga e da Comissão de Arbitragem, dois ex-dirigentes do Boavista, mais tarde arguidos no processo ‘apito dourado’!
Em apoio do que acabo de informar, seguem mais alguns dados esclarecedores:
- A empresa que tem a concessão (!) das transmissões televisivas é, também ela, accionista de quase todas as SAD dos clubes que participam na Liga; a distribuição das receitas televisivas pelos participantes, a que resulta deste estado de coisas, é simplesmente escandalosa e parte do curioso princípio de que poderia haver competição sem adversários!!!
- O Estado, através de empresas públicas ou semi-publicas, faz negócios com os três clubes acima referenciados desvirtuando assim a competição desportiva;
- O Canal público de televisão também contribui, em termos de direito de antena, para cavar o fosso que existe entre clubes grandes e pequenos; como curiosidade e a título de mero exemplo, constatamos que os telejornais se sentem na obrigação de dar notícias sobre os três clubes já referenciados, mesmo quando não exista qualquer notícia relevante para dar!
Outros dados poderiam ser coligidos sem esforço, como a longevidade dos dirigentes, quer na Liga quer na Federação, mas pensamos que a situação descrita, seja qual for o ângulo por que se analise, sejam quais forem os factores apreciados, constitui um caso único na chamada Europa do futebol, record absoluto com direito a Guiness...mas não pode deixar de levantar sérias preocupações sobre a apregoada verdade desportiva.
À atenção portanto do deputado Arnaut.
Saudações desportivas.

xmlns:dc="http://purl.org/dc/elements/1.1/"

<< Home