segunda-feira, maio 09, 2016

Os mínimos…

O último objectivo é agora ficar na primeira metade da tabela, ou seja, no nono lugar! É pouco mas é melhor que ficar mais abaixo. Mas eu nem sei se temos esse objectivo! O que sei é que na longa lista de campeonatos que já levamos, estas últimas três décadas (e mais uns pozinhos) têm pouco a ver com as trinta anteriores. Nesse tempo era invulgar um sexto ou um nono lugar! Creio que nunca ficámos nessa posição, mas nem vou confirmar.

Ontem na Choupana cumpriu-se o fadário. Não vi o jogo mas pelos indícios, pelos comentários dos jornais, pelo resumo dos lances, pode até dizer-se que tivemos alguma sorte. Desde logo porque a incapacidade revelada para segurar uma vantagem nos últimos minutos é um fardo que carregamos desde o início da época! Nem vale a pena tentarmos doirar a pílula, pois basta atentarmos naquele livre, já nos descontos, que estava mesmo a ver-se para onde ía (para que cabeça ía) e ficamos conversados. E se o jogo demorasse mais um minuto, ou se o fiscal de linha não interviesse a tempo, lá voltávamos nós da Madeira com mais uma derrota no bornal.

Cansaço?! Excesso de jogos?! Mas que culpa tem o cansaço quando aos treze minutos já não temos pedalada para segurar o avançado do Nacional que em cada metro ganhava dois ao nosso médio defensivo?! Não é cansaço é falta de pernas. Mas não vamos insistir, a SAD e o treinador já devem ter retirado as devidas conclusões, basta olharem para o goal – average.

Saliências?! Poucas, mas ficou na retina o grande golo de Tiago Caeiro! E uma grande assistência! Bem, e não quero os louros da minha insistência no Filipe Ferreira, mas frango ou não, o que conta são as bolas que entram. E já não é a primeira vez que marca. Fico-me por aqui. Para quem não viu o jogo até já escrevi demais.

Saudações azuis

  

xmlns:dc="http://purl.org/dc/elements/1.1/"

<< Home