quarta-feira, janeiro 24, 2018

Os banqueiros do povo!

É fácil ser generoso com o dinheiro dos outros! E ainda é mais fácil quando esse dinheiro é dos bancos e pode ser usado à discrição, sem limite de crédito, até á insolvência! Insolvência do banco e do cliente! E uma vez falidos nem interessa indagar se o banco é público ou privado porque quem acaba por pagar a conta é sempre o público, ou seja, o contribuinte. Pelo menos em Portugal tem sido assim.
Estava eu a pensar nestes negócios da China quando oiço falar no nome do Belenenses! Ouvidos à escuta e lá aparecia, com prova exibida, o clube do costume a fazer de banqueiro, casa da sorte, ou santa casa, distribuindo benesses aos mais necessitados. E neste clima ‘soviético’, os mais necessitados são todos, menos o clube eleito! Que é o clube do regime, do partido e do raio que o parta.
Isto pode ser novidade para muitos mas não é novidade para mim. O regime é este, o sistema é este, a batota é esta, e há sempre uma desculpa para continuar tudo na mesma. Desculpa que não aceito. E por isso espero (ainda não perdi a esperança!) pelo dia da decência. Esse dia há-de chegar e talvez os estádios voltem a ter público. Agora aquilo que lá vai é outra coisa. Uma massa informe com controle remoto.  


Saudações azuis

xmlns:dc="http://purl.org/dc/elements/1.1/"

<< Home