terça-feira, janeiro 30, 2018

Futebol nas quatro linhas…

Escrevo esta crónica com um zumbido nos ouvidos. Dizem as últimas que o presidente do Benfica, mais um juiz desembargador, foram constituídos arguidos e que para já há cinco detidos. Tráfico de influências parece ser a suspeita número um, mas é claro que por enquanto toda a gente é inocente. Eu é que não sou. E como não sou gostava que o meu clube, o Belenenses, se afastasse um pouco dos locais (e das pessoas) onde as suspeitas ganham asas e podem transformar-se em certezas. Para bom entendedor…

E passemos ao Jorge Silas e ao Zé Pedro, homens que não me parece que sejam suspeitos de nada a não ser de quererem ajudar o Belém a ser grande outra vez. Ainda há muitos erros não forçados, a cabeça dos jogadores ainda é pequenina e por isso ainda sofremos golos na última jogada do desafio! E assim passámos do céu ao purgatório e a felicidade plena vai ter que esperar. Pelo que vi e por mais voltas que se dê ao texto bastou entrar um jogador com a cabeça no lugar e com a baliza nos olhos para marcarmos um golo! Falta um dia para fechar a janela de transferências de Janeiro.

Rui Pedro Soares fez questão de falar no fim do jogo para desabafar e lançou mais uma farpa ao director de comunicação do FC Porto. Compreendo-o em parte. Mas teria sido mais sagaz se mantivesse o silêncio. Francisco J. Marques, como já escrevi, errou ao tentar instrumentalizar o Belenenses para acusar o Benfica de práticas duvidosas. Mas não está a mais no futebol. Pelo menos naquele que é jogado dentro das quatro linhas. E fico-me por aqui.

Parabéns ao Belenenses pela forma briosa e competente como se bateu emperrando a ‘equipa maravilha’ no dizer dos ‘jornalistas’ avençados. Parabéns aos homens valentes que não aceitam ser vassalos de ninguém.

Resultado final: Belenenses 1 – Benfica 1


Saudações azuis



xmlns:dc="http://purl.org/dc/elements/1.1/"

<< Home