terça-feira, abril 29, 2008

Decisão esperada

No fundo todos esperávamos por este desenlace, o contrário é que seria uma verdadeira surpresa! Imaginem um órgão de justiça da federação portuguesa de futebol, pese a sua proclamada independência, a produzir um veredicto que pusesse em causa a competência da própria federação! Mas o argumento maior, não foi esse, foi o facto de ter sido infringida uma norma da FIFA. Aqui sim, aqui se abrigaram os doutos conselheiros para manter a decisão da comissão disciplinar da liga, salvaguardando por essa via, a incapacidade, a irresponsabilidade, e porque não dizê-lo, a inutilidade da estrutura federativa! Que serve apenas como peça de propaganda do regime, com a sua selecção de emigrantes de luxo. Organizar o futebol português, torná-lo credível e rentável, isso não interessa, nem é ‘desígnio nacional’!
E agora?! Agora teremos de acatar a decisão e com a maior serenidade mas também com a maior firmeza, prosseguir na luta pela credibilidade das instituições que gerem o futebol português. Podemos e devemos aproveitar os argumentos que por certo constam do nosso recurso, para expor perante as entidades que regulam o futebol, a necessidade de alterar leis e regulamentos por forma a garantir mais certeza nas relações jurídico-desportivas, protegendo ao mesmo tempo a boa fé dos vários intervenientes. Isto que se diz conta para o futuro, agora interessa mostrar a nossa têmpera nos dois jogos que faltam, pois é nos momentos difíceis que homens e instituições definem a sua grandeza.
E recebamos também a nossa lição: para a próxima estaremos mais atentos para não sermos surpreendidos.
Saudações azuis.

xmlns:dc="http://purl.org/dc/elements/1.1/"

<< Home