terça-feira, fevereiro 02, 2016

Mais confiança e uma vitória decisiva!

Não vale a pena desconfiar mais, o teste do Marítimo foi uma prova irrefutável. Não tanto pelo resultado, que podia ser outro, um empate ou uma vitória mais folgada da nossa parte, o importante continua a ser o aumento da confiança individual e colectiva. Todos os jogadores estão um patamar acima do que estavam antes de chegar Julio Velasquez! Esse é o maior elogio ao treinador. É evidente que não desapareceram as falhas individuais, que os treinos poderão corrigir, e é também evidente que o colectivo ainda precisa de muita afinação, mas o que é inédito é esta vontade de jogar em todo o campo, de procurar a vitória, seja nos jogos em casa, seja nos jogos fora!

Do que gostei mais: - a excelente desenvoltura do colectivo, com linhas de passe verticais na saída de bola, e onde já se consegue (de vez em quando) uma rápida circulação ao primeiro toque! O que é próprio das grandes equipas. Gostei também das movimentações de Sturgeon e Juanto, mais tarde de Miguel Rosa, e claro, da grande exibição de Ventura!

Do que gostei menos – do flanco esquerdo defensivo com Fábio Nunes quase sempre desapoiado. Dos espaços na cabeça da área onde os jogadores do Marítimo rematavam com grande à vontade. Felizmente que a pontaria estava desafinada. E também não gostei de ver Diego Sousa superiorizar-se aos nossos centrais no jogo aéreo. É verdade que os cruzamentos tinham alguma qualidade mas de frente para a bola a vantagem é dos defesas.

Do que gostei e não gostei – Carlos Martins, muito elogiado pela crítica, esteve no melhor e no pior. É certo que é dele o cruzamento (canto) para o primeiro golo, e é também verdade que esteve nalgumas jogadas vistosas. Mas continua a falhar passes por usar de alguma displicência, passes de transição que não se podem falhar. E também é verdade que falhou dois golos. Dos melhores jogadores espera-se o melhor para a equipa e nesse aspecto, Carlos Martins que está bem melhor, ainda não está bem.

Resultado final: - Marítimo 1 – Belenenses 2



Saudações azuis



Nota básica: o grau de exigência define a ambição de cada um. Eu continuo a ambicionar um Belenenses grande, o que é diferente de belenensão ou belenensinho.

xmlns:dc="http://purl.org/dc/elements/1.1/"

<< Home