segunda-feira, janeiro 18, 2010

O dia seguinte…

O acordar cinzento, a leitura do jornal desportivo que me trazem pela manhã, encarar a semana de trabalho, tudo isso com aquela impressão de que algo correu mal no dia anterior, que é preciso sacudir a pressão, afastar os maus pensamentos, se ao menos fosse capaz de não ler a página do Delgado! Mas li e estraguei tudo. O lampião está muito preocupado com os empréstimos… do Porto! Tem medo que o Renteria vá reforçar a concorrência, e aproveita para fazer troça (porque tem inveja) da excelente contratação do Porto.
Ruben Micael chega tarde ao Dragão, pode ser que já não dê para o título, mas é um jogador extraordinário. Com ele o Belenenses não descia. Bastava dar-lhe o comando do jogo e mandar de férias a direcção. Melhor seria um pacote de férias para uma série de forças vivas que andam a matar o Clube. Já fiz asneira, falei no Belenenses! Esta crónica era para distrair, não era para me lembrar do pesadelo, mas pior que o mau sonho de ontem, é que não vejo soluções. Nem no banco nem no mercado.
Ponto assente é que a direcção deve estar sossegada, deve dar carta branca ao treinador, porque já percebemos que todos os treinadores precisam de jogadores confiáveis pelo menos nos lugares chave. António Conceição não foge á regra.
Por isso se fala em Maurício que ele conhece do Estrela da Amadora. Eu fartei-me de falar no Anselmo, um avançado centro que faz agora uma perninha no Nacional e que não tivemos a esperteza de ir buscar. O rapaz é de Torres Vedras e não se importaria de marcar uns golitos pelo Belenenses. Mas não, andamos sempre à procura da galinha da vizinha.
E pensando já no próximo jogo (é contra o Porto para a Taça) se o centro da defesa está reduzido a Devic e ao improvisado Gomez (que pode fazer o lugar se não inventar passes em zonas proibidas) o lugar de trinco deve ser entregue a Pelé. Porém sem defesa esquerdo confiável, o melhor é inventar alguém com disponibilidade física, aquilo que actualmente não abunda! Em última análise poderia deslocar-se o Mano para a esquerda e pôr o André Almeida na direita - apesar de tudo um dos menos maus contra o Leixões e apenas substituído, estou em crer, por razões tácticas.
O resto do meio campo terá de ser o resto da equipa. Com o Lima e o Zé Pedro às deixas. Não me perguntem quem escolheria para o ‘resto’, porque não sei. Talvez o Ivan (tem pés) e o Celestino, este com ordens precisas de se desfazer da bola em meio segundo. Cândido Costa?! Só com as mesmas instruções mas mais rigorosas, ou seja, menos de meio segundo. O que o obrigaria a saber antecipadamente o que vai fazer com a bola. Como os grandes jogadores.
Yontcha no ataque?! Só se recuar Lima para o vai e vêm. O Freddy é para entrar e refrescar alguma coisa.
Falta alguém?! Há alguma alternativa milagrosa?
Mas não são estes jogos que servem de bitola, nestes jogos todos dão o litro, e tudo se desculpa… actualmente. Antigamente era o contrário.
Mas enfim, desculpem-me lá a intromissão na área técnica, ainda por cima de borla.

Saudações azuis

xmlns:dc="http://purl.org/dc/elements/1.1/"

<< Home