sexta-feira, junho 01, 2007

A síndroma de Alvalade

Nos anos cinquenta, quando passámos dos campos para os estádios, e enquanto estes se construíam, os clubes de Lisboa realizaram alguns dos seus jogos no Estádio Nacional. Foi aí, que ainda criança, me lembro do equipamento amarelo do Sério, guarda-redes do Belenenses, como também me lembro do Travassos e dos seus violinos a apoquentar a defesa azul.
O Estádio Nacional era novo, estava à altura dos melhores que existiam por esse mundo fora, e não se sabe bem porquê, por alturas do Euro, em que (quase) toda a minha gente aproveitou para usar e abusar do dinheiro do Orçamento de Estado para reedificar estádios modernos, o estádio nacional ficou para trás, transformado em museu!
Responsáveis?! Não há.
Eu sei que neste país cada vez mais ínfimo, o que verdadeiramente interessa são o bem-estar e os bons negócios dos três clubes do estado! Eles não tinham dinheiro para a conservação e manutenção dos seus velhos estádios, vá de se organizar um campeonato europeu aqui, nada de ‘vaquinhas’ com a Espanha, orgulhosamente sós, e pronto, mataram-se uma data de coelhos com uma cajadada! Clubes do estado, construtores civis, autarquias, políticos, até o zé da bola ficou radiante. E lá se esqueceram do estádio nacional!
Quem também se esqueceu de si próprio foi o Belenenses!
Hesitante, indeciso, contou os tostões e viu que aquilo era muita areia para a sua camioneta…e não foi a jogo. Recebeu uns trocos para estar sossegado, fez umas obras de fachada e agora queremos jogar ali para a Europa e não nos deixam. Tem que ser em Alvalade! E logo num estádio onde nunca ganhamos.
O meu candidato nas últimas eleições quis trazer a questão do estádio do Restelo para a ordem do dia, mas disseram que não era oportuno, por causa da carreira da equipa de futebol! Agora pouco interessa, dirão, e de certeza que não há responsáveis para o facto de termos que ir jogar a campo alheio…não estando o Restelo em obras!!!
Pois então que se jogue no estádio nacional, no Algarve, em Aveiro, mas não em Alvalade.
Saudações azuis.

Post-scriptum: Entretanto a Direcção do Belenenses emitiu um comunicado endereçando responsabilidades à morosidade dos serviços camarários. Acredito, mas é preciso fazer alguma coisa, não podemos continuar sempre à espera, na expectativa, temos que agir e se for caso disso, denunciar os atropelos.

xmlns:dc="http://purl.org/dc/elements/1.1/"

<< Home