sábado, julho 01, 2006

Entre bases e básicos

Temos uma nova lei de bases para o desporto!
Do alto do púlpito, o secretário de Fafe, perdão, de Estado, Laurentino é o nome, junto com o ministro Pereira, que gosta de empregar filhas de presidentes em estágio para a PT, as filhas, dizia eu, que hoje prometo só dizer bem, que estou escondido debaixo do púlpito e ouvi a boa nova: uma nova constituição para o desporto português!
Outra vez admirado com este país que fabrica leis como ninguém, leis que prevêem tudo, de alto a baixo, leis que saem do Terreiro do Paço na nossa direcção, na direcção do mundo...”e se mais houvera, lá chegara”!
Leis são connosco. Cumprir ou não cumprir, fazer cumprir ou não, é outra questão!
Mas regressemos ao assunto:
O jovem nasce e já não é gente, é cidadão! É imediatamente coberto e recoberto pela malha legislativa, e mal se espreguiça fica a saber que a extensão do braço, é ginástica, se espreguiça muito, é alta competição, não há subsídio que resista.
O desporto escolar é agora, está escrito na lei!
Será desta que os clubes de futebol, vão deixar de ‘fazer’ desporto escolar! Para ver se passa a haver desporto escolar!
Livrei-me do trocadilho, os dois arquitectos sorriem, a arquitectura da lei faria inveja ao construtor do universo!
Quem não achou muita graça ao monumento constituinte foi o desmancha-prazeres da Madeira! Mal intencionado certamente, viu logo que havia ali conversa fiada para tramar a pérola do Atlântico.
É bem verdade que a explosão desportiva na Madeira destoa do Continente!
A autonomia está errada, nós queremos o país nivelado...por baixo, quem é que ele pensa que é!? Ainda por cima, a fazer ‘flores’ com o nosso dinheiro!
Antigamente é que era bom, no tempo em que a Madeira não existia, desportivamente falando.
Preciosidades para acompanhar de perto:
As autarquias deixam de poder apoiar os clubes de futebol profissional! Daqui a dois anos os mesmos clubes têm que alinhar* com um mínimo de seis jogadores formados na sua ‘cantera’, leia-se academia!
Até eu percebo quem vai ser beneficiado...e quem vai ser prejudicado.
Siga pois o plano quinquenal.
.
.
* Os clubes do nosso futebol profissional estarão obrigados, já em 2007/2008, a inscrever para cada jogo seis jogadores 'formados' no clube. Jogadores que tenham sido inscritos na Federação pelo menos durante três épocas, entre os 15 e 21 anos.
A partir de 2008/2009 serão oito.

xmlns:dc="http://purl.org/dc/elements/1.1/"

<< Home