segunda-feira, junho 26, 2006

Selecção abençoada

Aí vão eles outra vez, as frágeis caravelas desfeiteando flibusteiros holandeses!
Os ventos sopravam de feição, Maniche desembaraça-se de um adversário simula e engana, remata e golo. O Bojador ficou para trás. Mar largo e mar alto, os perigosos holandeses não se afoitam, receiam o contra ataque luso, optam por atemorizar o jovem Cristiano e conseguem pô-lo fora de combate. Entrou Simão e prosseguimos, mas Costinha, inadvertidamente, é expulso.
As nuvens adensam-se sobre as cabeças dos nossos defesas, a segunda parte iria ser terrível.
Tudo recomeça, os cruzamentos chovem sobre Ricardo, os homens da defensiva rechaçam tudo o que é humanamente possível, mas houve um momento, um pequeno milagre...a bola ressalta na área portuguesa e fica à mercê de um possante holandês, o disparo fortíssimo esbarra no ferro e não entra. Começámos a rezar.
A partir daí, pensei, chegaremos a terra firme, e assim foi, não obstante a mão nervosa de um Ivanov, que sem ter nada a ver com a contenda, ía dizimando portugueses e holandeses, ao ritmo das czardas.
Em Nuremberga acabaram nove contra nove!
No fim, a festa, a emoção, a merecida passagem aos quartos de final do campeonato do mundo.
Não há que destacar ninguém, foram todos inexcedíveis!
Dobrámos as tormentas, a Índia fica ali à frente!
Estou a falar de futebol, amanhã a vida continua.

xmlns:dc="http://purl.org/dc/elements/1.1/"

<< Home