quinta-feira, agosto 24, 2006

Não se pode ver televisão

Subestimei o animal, acendi o monstro e logo sofri as consequências!
Vieira do Benfica, na SIC, uma casa às suas ordens, todo poderoso, agitado, a gesticular, ameaça o país, mais um tal Tadeu jornalista, que andou a remexer na célebre contratação de Mantorras que o Benfica fez ao Alverca, um milhão de contos à cabeça, que parece não terem entrado nos cofres do clube ribatejano.
Foi então a oportunidade para conhecer melhor o drama de Vieira:
Vieira indignado com o futebol português; Vieira um dos homens mais sérios que conhece; Vieira perseguido por ter denunciado o silêncio do ‘apito dourado’; Vieira assaltado na sua própria casa; Vieira intimidado que não se deixa intimidar; Vieira que já esperava por este golpe traiçoeiro; Vieira que finalmente não sabe se vai recandidatar-se ou não!
Vieira não disse mas a memória garante-nos que Vieira ‘ganhou’ o Benfica com a contratação de Mantorras ao Alverca, clube onde ele e a sua família mandavam indiscutívelmente. O Alverca, logo que lhe foi possível fazê-lo, queixou-se de não ter recebido o dinheiro, Alverca que entretanto faliu!
Uma história do futebol português...exemplar.

Mal refeito com o programa anterior, surge Valentim, também agitado, a dizer-nos que não percebe patavina do despacho proferido pelo Juiz do Tribunal Administrativo e Fiscal de Lisboa, Tribunal onde o Gil Vicente interpôs uma providência cautelar no sentido de impugnar...tudo e mais alguma coisa!
Diz o Major que nenhum dos juristas contactados, incluindo os juízes conselheiros que fazem parte da jurisdição desportiva, conseguiram decifrar tão hermético despacho!
Valentim Loureiro já pediu ao Tribunal Administrativo e Fiscal de Lisboa, uma aclaração sobre o sentido da respectiva decisão, e enquanto ela não chega, adianta que só pretende ser esclarecido sobre quem fica ou não fica na primeira Liga, e por consequência, quem joga com quem!
Bem, o que pensar de tudo isto?! Está tudo doido?
De facto lendo o excerto do despacho, aquele que foi disponibilizado, a ideia que fica é a de uma contradição, ou ao menos, uma dúvida legítima. E podia continuar com as perguntas e já agora com as suspeições, mas não adianta, o problema é a televisão.
Outra história exemplar do futebol português.
Aguardemos então o esclarecimento judicial desta novela que promete.

xmlns:dc="http://purl.org/dc/elements/1.1/"

<< Home