terça-feira, abril 18, 2006

“De poder a poder”

Em linguagem tauromáquica significa enfrentar o cornúpeto sem margem para mas...ou meio mas! Ali está o lance que temos que consumar com ganas de vencer, sem pensar em mais nada. Domingo que vem, em Paços de Ferreira, “ às quatro em ponto da tarde”, parafraseando Lorca!
Os resultados dos outros não interessam, mas o resultado, precedido de escândalo, obtido em Braga pelo nosso próximo adversário, é uma arma de dois gumes para ambos: provoca ansiedade no Paços, que tem a meta à vista; e obriga a redobrar esforços pela nossa parte face a um contendor moralizado, que luta afinal pelo mesmo objectivo – salvar-se.
Não quero declarações de empate, resultado dificílimo de alcançar por este Belenenses, que ou ganha ou perde, e tem perdido mais vezes do que ganha. O que quer dizer muito simplesmente isto, que venho repetindo: não temos sistema defensivo para aguentar jogos nulos, ou semelhantes. De repente, sofremos golos incríveis!
Mais vale por isso apostar no nosso ponto forte – o ataque. Eles terão que se precaver e refrear.
Fora disto é sofrer a bom sofrer. Não contem com o jogo contra a Académica no Restelo.
O jogo decisivo é em Paços de Ferreira.
Saudações azuis.

xmlns:dc="http://purl.org/dc/elements/1.1/"

<< Home