terça-feira, agosto 28, 2018

Excesso de informação igual a desinformação!


Já estávamos à espera disto – quando há excesso de informação a informação acaba por ser redutora. Só contempla os grandes . E se por acaso falam nos mais pequenos é porque isso de certo modo pode interessar aos grandes. Um fenómeno típico que revela como o capitalismo pode ser tão totalitário como o comunismo.

Explico: - Quis ler na Internet as declarações de Silas sobre o jogo de Moreira de Cónegos e só consegui apanhar aquela parte em que se refere à possível saída de Zacharya para o Porto! Sintomático.

Sobre o jogo o título é óbvio: - morrer na praia! Tal como já tínhamos morrido (ou sido mortos) na semana passada morremos outra vez, mas desta vez de morte natural. Azar?! Talvez, pois foi no último lance do desafio, num pontapé de canto, quando dois pés em desespero procuram a bola. Aurélio foi mais lesto que Gonçalo Silva e estava feito o empate.

Jogámos melhor que em Tondela, houve mais posse de bola, mas não gostei da primeira parte. Faltaram as transições pelo centro do terreno, os médios não se conseguiam voltar para para o meio campo adversário e jogavam para trás. Uma ou outra bola longa foi o melhor que conseguimos.

Por seu turno o Moreirense que começou um tanto atemorizado foi ganhando confiança graças ao jogo temerário que Muriel e companhia iam ensaiando à frente da nossa baliza! Num desses lances só não sofremos golo por acaso. Seria um golo completamente oferecido.
Não sei nem quero saber das instruções de Silas sobre este assunto, sei apenas aquilo que vejo e já vejo futebol há muitos anos. E como o futebol não é diferente das outras actividades há que ter bom senso. Uma coisa é sair a jogar outra bem diferente é poder sair a jogar. Este dilema tem que ser bem resolvido por todos. Em especial pelo guarda-redes.

Na segunda parte as coisas melhoraram com a entrada de Diogo Viana para o miolo. O jogo tornou-se mais emotivo e conseguimos chegar ao golo por intermédio de Keita. Antes do golo Kikas já estava preparado para entrar e entrou mesmo para o lugar de Keita. À posteriori é mais fácil dar palpites mas o normal (depois de nos adiantarmos no marcador) seria fazer entrar Eduardo Henrique, um médio com pique poderoso, e assim fechar o jogo. Silas teve outra opinião e na verdade não creio que tenha sido por aí que o Belenenses consentiu o empate. Tivemos aliás algumas oportunidades para matarmos o jogo e que foram ingloriamente desperdiçadas. Estava escrito que não sairíamos de Moreira de Cónegos com os três pontos.

Sobre o desempenho individual já fui dizendo quase tudo. Dálcio esteve aquém das necessidades; Esperava mais de Lucca; Licá está pouco confiante, e Fredy tendo sido um dos melhores acaba sempre por manchar a sua actuação com falhas inexplicáveis no momento da decisão. Pergunta-se: - porque não passou a bola e tentou fazer um difícil chapéu ao guarda-redes?! Deslumbramento?! Já não tem idade para isso.
Gostei dos dois defesas esquerdos que apresentámos – Zacharya e Reinildo.

Saudações azuis


Nota básica: Nada a opor aos bons negócios da SAD desde que isso se traduza na valorização da equipa e como tal no regresso do Belenenses àquilo que já foi. E que felizmente ainda retenho na memória.

Post Scriptum: Ainda sobre o tema desinformação um silêncio pesado desceu sobre o país. A SAD do Benfica, é arguida no processo e-toupeira e já andam a dizer que nada tem a ver com a parte desportiva! Mas é claro que tem, uma vez que a SAD só existe porque há futebol profissional e os processos espiados, segundo consta, têm a ver com o futebol profissional. Assim e com a maior candura pergunto: - a FPF não tem nada a dizer?! E a Liga, nada?! E se fosse sportinguista também perguntaria: - o que estavam Sousa Cintra e Torres Pereira a fazer no camarote do arguido?! Perguntar não ofende.

xmlns:dc="http://purl.org/dc/elements/1.1/"

<< Home