segunda-feira, novembro 28, 2016

Exibição interessante, mas …

Há que reconhecê-lo o Belenenses realizou uma excelente exibição impondo um nulo no Restelo ao Futebol Clube do Porto! Podíamos até ter ganho e não seria nenhum escândalo para quem viu o jogo. Isto quer dizer que Quim Machado está a conseguir tirar rendimento dos jogadores que tem à sua disposição, dando-lhes confiança (e serenidade) e isso nota-se em campo. Essa foi a primeira boa surpresa da noite chuvosa. A segunda surpresa residiu na capacidade para discutir o jogo em todo o campo nunca perdendo o sentido da baliza contrária. Houve é certo, períodos, nomeadamente na segunda parte, em que alguns jogadores pareciam vacilar mas a equipa manteve-se organizada e sem abdicar dos seus princípios de jogo. Bola na relva, espaços para onde os jogadores se desmarcavam com naturalidade e desenvoltura. Sim senhor, há progressos!
A terceira grande surpresa da noite foi a lição de táctica que Quim Machado deu no seu opositor! Ao colocar André Sousa adiantado e sempre em perseguição de Danilo, secou uma das fontes do ataque tripeiro! Confinado ao tricot de dois jogadores de futebol de salão (Oliver e Octávio) o Porto pouco incomodou o último reduto azul. E ainda bem.

Destaques individuais: - é um lugar-comum dizer que o Belenenses valeu como um todo, no entanto houve algumas exibições individuais que não passaram despercebidas! Comecemos pelo guarda-redes Joel, um jovem que tem que ser associado ao melhor desempenho defensivo da equipa nestes últimos jogos. Depois tivemos uma dupla de centrais em grande plano! O bem reaparecido Gonçalo Silva e Domingos Duarte. Dispensável apenas o imprudente encosto em André Silva.  
Os laterais também contribuíram bastante para a boa exibição azul! Seguros na defesa, incorporando-se com a propósito no ataque anularam quaisquer veleidades portistas. Um destaque especial para Florient, que revelou estar em grande forma. Até safou um golo certo graças ao seu sentido de oportunidade e colocação!
O meio campo foi um muro abnegado onde esbarravam as curiosas tentativas dos homens do norte! Neste aspecto Rosel merece uma palavra. De salientar também o papel de Sousa, na dupla missão de apoio ao meio campo e ao ponta de lança. Uma tarefa esgotante que Sousa realizou com brilho!
No ataque devo registar a melhoria de forma dos três arietes – Sturgeon a confirmar o estatuto de craque; Gerso mais confiante e mais sólido; e Camará, um poço de energia a defrontar ( e a fixar) os dois centrais portistas! Merecia um golo.
Quanto ás substituições pareceu-me que Miguel Rosa poderia ter entrado mais cedo mas entendo que mexer numa equipa que está a jogar bem poderia ser prejudicial. Yebda também regressou para jogar uns minutos mas desta vez não se lesionou nem houve golpe de asa. Mica Pinto também entrou para render o esgotado Florient.


Nota final:

Na conferência de imprensa após o jogo Quim Machado deu a entender que o estilo de jogo que implanta nas suas equipas acaba por valorizar os jogadores. E deu o exemplo do que aconteceu no Vitória de Setúbal com André Horta que foi para o Benfica, Rúben Semedo para o Sporting e Suk que seguiu para o Porto. Estes dois logo em Janeiro. É verdade. O problema é que o Vitória de Setúbal esteve à beira de descer o ano passado!

Podíamos dizer que nada disto tem a ver com o Belenenses não fosse o caso de na mesma conferência Quim Machado ter desvendado a hipótese da saída de um jogador do actual plantel. Adivinhamos que se trata de Sturgeon, ele que faz a diferença, como ontem se viu no Restelo. Mesmo atirando um pontapé para as nuvens. Não é isso que interessa aqui. A verdade é que a SAD se prepara para fazer mais um encaixe à conta de um jogador que foi fabricado em Belém. Tal como já tinha acontecido com Fredy, e provávelmente com Dálcio. É claro que a vida de qualquer SAD é isto - comprar barato, valorizar, para depois vender mais caro. Subentende-se, no entanto, que só se podem valorizar jogadores se a equipa onde actuam estiver também ela a valorizar-se. Não me parece que tenha sucedido isso no Vitória de Setúbal. E entramos naquilo a que se pode chamar, sem ofensa a ninguém, a ‘setubalização ‘ do futebol azul! Lá como cá não estamos a falar de vendas de jogadores adquiridos pela SAD, mas sim, ou de produtos da cantera (no caso André Horta) ou então, emprestados (Rúben Semedo e Suk). Pois bem, é disto que eu tenho medo. Vende-se o Sturgeon, que é nosso, e vai-se pedir emprestado um jogador qualquer a um dos grandes e assim se vai descapitalizando o Clube de Futebol “Os Belenenses”.
Estarei a ser pessimista?! Velho do Restelo?!



Saudações azuis

xmlns:dc="http://purl.org/dc/elements/1.1/"

<< Home