domingo, agosto 21, 2016

Crónica curta

Não vi os primeiros vinte minutos mas isso também não interessa. A minha ideia sobre a equipa está mais ou menos formada. Os aspectos defensivos estão mais sólidos, há melhorias no jogo aéreo, embora tenhamos consentido um cruzamento muito perigoso que Ventura desfez com grande defesa. Mas aqui temos que dar mérito ao Boavista que tem um jogador que marca livres com mestria. A luta pela posse de bola também melhorou e Rúben Pinto parece querer assumir-se como armador de jogo, uma boa notícia, dada a importância de ter um jogador devotado a tais tarefas. Veja-se o caso do nosso adversário que tem Fábio Espinho, um bom centro campista, e cujo labor ainda causou (na parte final do desafio) alguns calafrios aos adeptos azuis. Aos adeptos e ao treinador Velasquez que se apressou a substituir André Sousa, que já não defendia, fazendo entrar Luís Silva para equilibrar a equipa. E mais tarde, para salvar um ponto, resguardou-se com Mica Pinto no lugar do avançado Andric! E fez bem.

Portanto, se é verdade que criámos mais ocasiões para marcar que o Boavista, e eu valorizo sempre a criação de oportunidades, não é menos verdade que abrimos alguns corredores, nomeadamente no flanco esquerdo defensivo, que podiam ter sido fatais.

Resumindo, há progressos em relação ao jogo de Setúbal, e ganhámos um ponto a uma equipa com a preparação mais adiantada e muito perigosa nas bolas paradas. Sem falar do aspecto perturbante de não termos jogadores suficientes para preencher o banco!
Aguardemos com esperança os próximos jogos.



Saudações azuis

xmlns:dc="http://purl.org/dc/elements/1.1/"

<< Home