domingo, outubro 24, 2010

O medo de perder

Cheguei um quarto de hora atrasado ao sofá e quando me sentei estava a ver televisão! Mas não devo ter perdido o fio à meada, aquilo eram duas equipas preocupadas em não perder, muitos choques, muitas faltas, um jogo confuso. Isto na primeira parte.

O Belenenses joga sempre em contra ataque mas nem por isso percebe que o Purovic não é ponta de lança, mas sim avançado centro! Ando a explicar isto há séculos, o Purovic só é perigoso se for solicitado com cruzamentos à linha e não com pontapés por alto e para a frente (à segunda divisão e isso infelizmente corresponde!) porque nestas circunstâncias o seu jogo é inglório! Nem se aproveitam os ressaltos ganhos de cabeça!

Outra questão ou a eterna questão do meio campo – estive a reparar melhor no Miguel Rosa e cheguei à conclusão que não é centro campista. Joga de cabeça baixa, não tem portanto visão de jogo, procura sempre a jogada individual, mas sobretudo o remate. Embora venha do Benfica ainda está verde, e viu-se que poderia ter aproveitado melhor aquele lance em que se isola.

Mas já que falamos de centro campistas, e estou a repetir-me, os únicos que (até agora) me pareceram corresponder ao curriculum exigido são o Azeez e o André Martins. Estando o Azeez lesionado, o André Martins tem que jogar sempre. De início.

Calé e faixa esquerda merecem um apontamento especial: - dá a sensação que aquele corredor esquerdo ofensivo transforma o cérebro dos jogadores que ali actuam! Calé que até é bom jogador, mal recebe a bola, faz um compasso de espera e logo que está rodeado de adversários resolve começar a fintar! Resultado – jogadas embrulhadas, confusas, sarrafadas e riscos de acção disciplinar por parte do árbitro. Porque Cale é refilão e responde às provocações do adversário...
.
Então, mas não há nada de bom?!
Há… a equipa lutou, o Tiago Gomes fez uma boa exibição (safou várias vezes o mau posicionamento dos centrais) e o guarda-redes Riça esteve seguro entre os postes.
E quem merecia ganhar? O Belenenses ou o Leixões?
O empate ajusta-se, embora o Leixões (na parte final e quando o jogo já estava partido) tenha criado oportunidades mais flagrantes. Mas poucas, pois como referi no início, a ideia comum era não perderem.

Resultado final: Belenenses 0 – Leixões 0

Saudações azuis

xmlns:dc="http://purl.org/dc/elements/1.1/"

<< Home