terça-feira, junho 28, 2016

Camará, Fredy, Bakic… e o Europeu

Há duas posições no futebol onde a aprendizagem é tão importante como o génio natural. Refiro-me ao guarda-redes e ao avançado centro. Cabe aos treinadores valorizarem sistemáticamente estes jogadores que normalmente são aqueles que jogam até mais tarde. No caso de Abel Camará, as qualidades naturais para desempenhar o lugar de ponta de lança existem. Tem arranque, é oportuno, e eleva-se bem. A seu desfavor, uma técnica pouco apurada, e o facto de nunca ninguém lhe ter ensinado a jogar dentro da área, num futebol mais posicional. Mas como a crise de goleadores é, na Europa, mais que visível, valia a pena dar-lhe mais uma oportunidade para evoluir no Belenenses. Clube, afinal, onde se formou.

Fredy rescindiu com o Recreativo de Libolo e sendo assim, talvez possa regressar ao Belenenses. Mais maduro e com mais discernimento (o seu grande problema) quem sabe se não seria o medio ofensivo que precisamos para substituir Bakic! Bakic que segundo li, está a caminho do Sporting! Como veem estou a aproveitar a prata da casa.

O Europeu é para homens de barba rija e que saibam correr! A França só quando começou a correr mais que os irlandeses é que logrou a vitória. A Itália correu sempre mais que a Espanha, uma selecção que vive estacionada no Barcelona de Guardiola! Não aprendeu nada com o Atlético de Madrid de Simeone. Quanto aos islandeses, fortes e espadaúdos, vieram para este Europeu com a lição bem estudada. É difícil ultrapassá-los pelo ar. E nunca desistem de um lance! Finalmente o Portugal-Polónia que se avizinha é um jogo imprevisível. Pode ser o mais fácil de ganhar! Também pode ser o mais fácil de perder! Em teoria temos selecção para passar às meias-finais. Qualquer comentador diria isto, mas eu digo-o, sem grande convicção. Oxalá corra tudo bem.


Saudações azuis 

xmlns:dc="http://purl.org/dc/elements/1.1/"

<< Home