segunda-feira, janeiro 18, 2016

Surpresa, sofrimento e alegria!

Surpresa na primeira parte, a jogar em todo o campo, o meio campo preenchido, as desmarcações a funcionarem, um futebol elegante, um passe de rotura de Carlos Martins, e Filipe Ferreira a aparecer na cara do guarda-redes contrário e a facturar! Instintivamente recuámos, como recuamos sempre que estamos a ganhar. Vício da casa, vício que a Liga Europa acentuou. E o Rio Ave empatou. Um cruzamento demasiado largo para não ser neutralizado e foi assim que sofremos mais um golo. Reagimos, e apesar do pendor atacante dos donos da casa, e das fragilidades, quer de Geraldes, quer de Gonçalo Silva perante o extremo esquerdo vila-condense,voltámos a equilibrar a partida. Já perto do intervalo Sturgeon, de cabeça, correspondeu da melhor maneira a um centro de Filipe Ferreira.

Mas como acima frisei, nós não sabemos estar a ganhar! Não sabemos continuar na ofensiva. As debilidades físicas e a veterania de alguns jogadores cruciais explicam em parte este problema. Portanto, durante a segunda parte, foi baixar linhas e defender a todo o transe a magra vantagem alcançada no primeiro tempo. E com alguma sorte, e também algum mérito, conseguimos uma vitória essencial para as nossas contas do campeonato. Os adeptos esperam sofrer menos da próxima vez.

Está de parabéns o treinador que surpreendeu com três centrais e uma dinâmica de jogo que infelizmente não conseguimos manter na segunda parte. Os motivos são vários mas já dei algumas pistas. E estão de parabéns os jogadores que se bateram com nervo por este resultado. A ter que destacar alguém, pela regularidade exibicional, Ventura e Filipe Ferreira.

Resultado final: Rio Ave 1 - Belenenses 2



Saudações azuis

xmlns:dc="http://purl.org/dc/elements/1.1/"

<< Home