domingo, maio 10, 2015

Crónica gasta

Ninguém me encomendou a crónica, há jornais especializados que a fazem, que a fizeram, mas ainda passam por aqui uns quantos belenenses e é para eles que escrevo. Até porque uma crónica escrita por um belenense é coisa rara. Eu sei que alguns se intitulam como tal, mas trabalham para outros interesses, outros emblemas. E se a minha justificativa vai longa é porque o jogo em si foi desinteressante, muito defensivo, e quando se sentia claramente que o Belenenses tinha condições para levar de vencida a Académica, o individualismo (ou vedetismo) de uns, e a inépcia de outros estragou o esforço da maioria. É democrático?! Não é.
Na segunda parte a coisa piorou. Já havia gente que não recuava, estoirada, e os estudantes começaram a carregar. E eu falava com os meus botões: - porque é que nunca nos toca um Ivanildo?! Um jogador que desequilibra, que leva a equipa para a frente?!
Não havia resposta. Do nosso lado, o meio campo deixou de funcionar, bola recuperada, era bola perdida. Ridículos alguns lançamentos para a lentidão de Rui Fonte! Na parte final o jogo acelerou um pouco mais. Sofremos o golo, reagimos, é verdade, mas toda a gente pensou que era o resultado final. Eu, idem. Valeu Fábio Nunes, o seu irrequietismo, e um cruzamento/remate caído do céu!

O menos: - como acima referi, o meio campo agarra-se muito á bola, não a solta quando deve. Só Dias se safou.

O mais: - Fábio Nunes, obviamente, e Abel Camará, generoso, com outro andamento. Espero que jogue a ponta de lança contra o Porto.


Saudações azuis

xmlns:dc="http://purl.org/dc/elements/1.1/"

<< Home