terça-feira, fevereiro 03, 2015

Há coisas que se aceitam, outras não!

No último instante ficámos a saber que Rui Fonte (jogador do Benfica B e bom marcador de golos) tinha sido emprestado ao Belenenses até ao fim da época. Uma boa notícia para quem viu fugir-lhe um avançado no mercado de Janeiro e poucas alternativas lhe restavam para o eixo do ataque. 

Isto não invalida a perspectiva que sempre defendemos no que toca a empréstimos de jogadores. Nada a opor desde que não aconteçam entre clubes que disputam a mesma Liga. Liga doméstica já se vê, para não ser mais papista que o Papa. E insisto neste tema porque acho estranho que os organismos que deveriam preocupar-se com a transparência no futebol continuam a assobiar para o lado, ou então a promover inquéritos que não levam a nada!

É claro que eu percebo o que se passa, aliás como todos percebem. Em Portugal quem manda são os grandes clubes e quer a FPF quer a Liga não se atrevem, como nunca se atreveram, a incomodá-los. Só assim se explica esta promiscuidade. E nem quero saber se lá fora é igual ou de outra maneira! O que me interessa é endireitar o que está torto no meu país. E no meu país parece que os jogadores pertencem todos a três ou quatro clubes que vão fazendo a gestão dos ganhos e perdas enquanto a maioria, os chamados clubes pequenos, ficam a chuchar no dedo ou a receber umas migalhas! Para que continuem eternamente pequenos! É esta a verdade do futebol português! Que não muda porque não quer mudar.

Nota final: - Compreendo que para um belenense, que seja apenas do Belenenses, os empréstimos oriundos da segunda circular custem mais a engolir. Aceito isso. Mas o fundo da questão é aquele que defendi acima: - empréstimos na mesma Liga, não!


Saudações azuis  

xmlns:dc="http://purl.org/dc/elements/1.1/"

<< Home