segunda-feira, dezembro 14, 2009

Arroz celestino

As últimas imagens são as que ficam e são dois lances capitais. Num deles, no primeiro, a defesa desposiciona-se, Arroz é batido pelo recém entrado Roberto que cabeceia para um companheiro fazer o golo. Estava aberto o activo, a meio da segunda parte, o Vitória de Guimarães tinha o jogo na mão. Para piorar as coisas André Almeida é expulso na sequência de uma disputa de bola pelo ar, talvez uma cotovelada, no local onde estava não me apercebi da ocorrência. Ainda assim, fazendo das fraquezas forças, carregámos na procura do empate, correndo o risco de sofrer o segundo golo (que esteve à vista por duas vezes) até que a poucos minutos do fim Celestino tem a baliza aberta para uma recarga aparentemente fácil, mas falha rotundamente. As hipóteses de empate terminaram aí.

Voltando atrás, à primeira parte, pode dizer-se que o sistema táctico para parar o Guimarães até funcionou, o pior é o resto, ou seja, exercermos algum domínio, empurrarmos o adversário para o seu reduto, isso não funcionou. Aliás, essa parte do jogo, aquela que conduz às vitórias não faz parte do actual Belenenses. Aqui e ali, fabricam-se umas jogadas com interesse, Yontcha vê-se que é um bom jogador, Lima, apesar de algumas dificuldades de recepção, é um avançado perigoso e rematador, mas isto não chega. Como já se tem dito, o meio campo não tem meio-termo, ou é tecnicista mas excessivamente macio, caso de Ivan (mas que apesar da má vontade dos sócios é o melhor centro campista que temos) ou é excessivamente rude e trapalhão, caso de Gabriel Gomez, ou então está demasiado verde, casos de André Almeida, Celestino e Pelé. Por isso não conseguimos a necessária consistência, quer na posse de bola, quer no seu destino.
Se somarmos todas estas insuficiências e subtrairmos as qualidades, que também existem, ficamos com um saldo muito curto, que não resiste, por exemplo, a ausências de alguns jogadores nucleares. Estou a referir-me a Diakité.
Resumindo e concluindo: - a continuarmos assim, e tal como já escrevi, os nossos adversários para a descida de divisão, são o Olhanense, o Vitória de Setúbal e talvez o Leixões.

Saudações azuis (cada vez mais pessimistas)
.
.Errata: O autor do golo foi afinal Roberto que recebeu a bola cabeceada por Douglas. Fica a correcção embora não tenha qualquer influência na croniqueta que elaborei. O marcador foi uma questão secundária. O importante, o que não podia ter acontecido, tem a ver com a desconcentracção defensiva face à entrada de um segundo ponta de lança na equipa do Guimarães. Isso e o indispensável acertar de agulhas é que falhou. Portanto, a responsabilidade não é só do Arroz mas de todo o sistema defensivo.

xmlns:dc="http://purl.org/dc/elements/1.1/"

<< Home