terça-feira, setembro 20, 2016

Fragilidades e fortalezas

Vi o jogo de Guimarães em diagonal, a primeira parte quase toda, a segunda aos bocadinhos, mas deu para perceber algumas fragilidades defensivas que já julgava ultrapassadas. Refiro-me ao primeiro tempo com os laterais a permitirem passes para o interior da área que poderiam ter sido fatais. Aquele para o Marega (sem marcação!) e que daria o segundo golo não pode acontecer!
Lentamente acertaram-se posições a barreira defensiva melhorou mas a transição para o ataque continuava a não sair! O tal problema do meio campo. Resultado. – Gerso e Camará em grandes dificuldades para se virarem.

Na segunda parte mais subidos mais pressionantes o Belenenses superiorizou-se mantendo o Guimarães em sentido. E chegámos naturalmente ao empate. Pedro Martins, sem querer, elogiou o treinador azul queixando-se de que a partir de certa altura o jogo ficou partido inviabilizando o (previsível) caudal ofensivo vimaranense. De facto Velasquez operou algumas mudanças que baralharam a estratégia do adversário. Mas mais do que jogadas tácticas o que precisamos é da personalidade e firmeza com que abordámos a segunda parte.

Melhores do Belenenses: Gerso e Palhinha. Uma referência ainda para a polivalência de Vítor Gomes.

Resultado final: Guimarães 1 – Belenenses 1
Marcadores: - Marega (Guimarães) e Palhinha (Belenenses)


Saudações azuis



Nota: O golo vimaranense foi marcado em clara posição de fora de jogo.

xmlns:dc="http://purl.org/dc/elements/1.1/"

<< Home