terça-feira, dezembro 22, 2015

Vitória sem sofrer golos!

Foi assim que se expressou o novo treinador do Belenenses, um jovem, tão jovem que só pode ser um predestinado para a função! Veremos. Para já ganhou, embalado pela chicotada psicológica e com pequenos retoques na equipa que foi derrotada em Coimbra.

Assim, numa primeira análise parece um adepto do futebol linear, clássico, sem grandes fantasias e uma grande preocupação em por toda a gente a correr. Correr bem isso já é outra questão e ainda é cedo para tirar conclusões. Há jogadores que estão irreconhecíveis para pior, caso de Kuca, e há outros em nítida melhoria, caso de Filipe Ferreira. André Sousa já se percebeu que tem que jogar sempre mas há ali muito trabalhinho psicológico a fazer. Desde logo precisa de ganhar confiança e ser mais mandão. E mais curiácio, evitando cair ao mais pequeno toque. Rúben Pinto que neste jogo foi perseguido pelo árbitro deverá aprender a lição – após o desarme deve evitar enrodilhar-se nos adversários. E por falar em faltas desnecessárias, atenção a Geraldes (muito precipitado) e a João Afonso. É que os livres laterais são demasiado perigosos para a nossa defesa anti-aérea.

Passemos ao ataque e às célebres transições, que acabam por decidir os golos que se marcam, ou não. Não é preciso ser grande treinador para perceber que o ataque do Belenenses vive ou tem que viver dos golos de Luís Leal. Caeiro também marca mas não em contra ataque. Ora Luís Leal só pode marcar se for lançado por forma a aproveitar a sua explosão e o forte remate que possui. Um trabalho simples, objectivo, que fica a cargo do meio campo e das assistências de Sturgeon e Kuca. Pois se eu vos disser que ontem só por uma vez se vislumbrou essa possibilidade fica tudo dito sobre o magro resultado final.

Resultado final: Belenenses 1 - Boavista 0
Marcador: Filipe Ferreira


Saudações azuis

xmlns:dc="http://purl.org/dc/elements/1.1/"

<< Home