sexta-feira, janeiro 19, 2007

Coração e disciplina

Nem de propósito! Estava eu a tentar estabelecer algumas regras de convivência e respeito entre os sócios, quando surge a boa notícia da contratação de um promissor ponta de lança, José Luís Garcês de seu nome, que ao que consta é tão perigoso dentro do campo, frente aos guarda-redes adversários, como tem sido fora dele, em natural prejuízo para si próprio e para os seus conterrâneos!
Mas tenhamos fé e esperança que o nosso Clube lhe traga a paz que por certo procura e o êxito que só conseguirá com disciplina e respeito pelos outros, dentro e fora de campo.
Mas volto ao princípio porque este texto como já perceberam traz mensagem: em primeiro lugar para compreender algum sentimento de injustiça entre a Fúria Azul especialmente para aqueles que só pensando no bem do Clube tudo fazem para o engrandecer! Para esses, o meu reparo soou a injustiça e não era esse o meu objectivo, como devem calcular. A Fúria Azul é “a nossa claque” se leram bem esta frase no polémico texto. Nessa qualidade tem sempre o meu apoio, ponto final.
Mas, e há sempre um mas, a Fúria Azul também tem deveres e é desses deveres que se esqueceu. Não é uma questão de opinião como tentaram fazer crer, é um problema de direitos e deveres, da Fúria Azul e de todos os outros associados. E aí entra a minha razão.
Quando a Fúria Azul não percebe que é a claque de todos os Belenenses, mas apenas a claque de alguns, dos que não são velhos, dos que vão a Gondomar, dos que nunca fazem reparos, etc., então a Fúria Azul deixou de ser a “nossa claque” e nesse sentido perdeu a sua razão de existir. Não é isso que queremos.
E se a minha idade permite um conselho, digo-vos que não precisam de ser a maior claque do mundo, mas têm que ser a melhor! A melhor em tudo, especialmente em educação, e aí se distinguirá concerteza das claques dos três clubes do estado.
A mensagem acaba aqui, mas em nome do coração transijo e respondo a alguns dos comentários ao postal anterior:

“Identificado mais um velho do Restelo”
Prefiro que me chame “Jovem das Salésias” pois foi aí que comecei a ir ver jogar o nosso Belenenses, pela mão de meu pai, também ele, um Belenenses de sempre. Nasci próximo do velho campo das Salésias, na Junqueira, encostado a Santo Amaro.
Numa coisa tem razão, estou velho. Envelheci a correr atrás deste Clube, também ele velhinho como eu. Mas olhe, ainda não perdi a esperança de o ver de novo campeão nacional da primeira divisão. Como vê, não me contento com pouco.

“Temos tantos problemas…”
Aqui não concordo. O maior problema do Belenenses é, sempre foi, a falta de uma liderança forte, de um pulso firme, que discipline o Clube e o encaminhe sem hesitações em direcção a um futuro diferente deste presente tristonho. Todos sonhamos com isso.
Esta polémica centra-se à volta desse problema. A sensação que fica é que neste Clube cada um faz aquilo que lhe apetece!

“O homem que se esconde atrás do monitor”
Bem, como queria o “elogioso” comentador que eu edificasse um blog, a meias com o SPM, e que já leva quase dois anos, se não estivesse largas horas atrás do monitor?!
Mas atenção, eu já me identifiquei há muito, logo no primeiro texto em que critiquei abertamente a actual Direcção. Dei a cara, como tinha que ser, basta ver os arquivos do Belém Integral.
Mas como manifestou interesse em conhecer-me, estou desde já disponível para me deslocar à Ajuda, coração da Fúria Azul, para aí esclarecermos todos os mal-entendidos.
Quem sabe se ainda ficamos amigos. Belenenses já somos.
Saudações azuis.

Post-Scriptum: Lamentavelmente esqueci-me de fazer referência aos comentários que tentaram com lucidez e educação estabelecer algum consenso, lembrando bem que a família belenense é só uma.
Agradeço os Vossos contributos, sem distinção.

xmlns:dc="http://purl.org/dc/elements/1.1/"

<< Home