segunda-feira, abril 12, 2010

Fazer contas

Cumpro esta tarefa como um dever, um dever de especial retribuição a quem adquiriu o hábito de visitar este site na esperança de saber algo de positivo sobre o Belenenses. Mas mais uma vez não temos boas notícias para dar. O empate na Madeira e contra o Marítimo, clube cujo equipamento verde rubro basta para me indispor, o empate, dizia eu, tem o sabor a derrota.
Só a vitória teria o efeito de reduzir o fosso (são já oito pontos, pelo menos) para a linha de água, e essa vitória até esteve perto de se concretizar, não fora a azelhice de Lima já nos segundos finais da partida.
Um jogo em que fizemos o mais difícil, estivemos a ganhar, mas não soubemos conservar a vantagem. No Belenenses é assim – quando o ataque marca mais do que é costume, a defesa (e o guarda-redes) encarregam-se de equilibrar as coisas e começam a dar brindes! O que se há-de fazer?! Nada, o calvário vai continuar e no próximo fim-de-semana haverá por certo mais novidades. Certo, certo, é que a quatro jornadas do fim e por mais contas que se façam só poderemos adicionar doze pontos aos dezasseis que temos agora. Isto no caso de ganharmos os quatro jogos que faltam (um sonho acordado!) o que perfaz a totalidade de 28 pontos. Vitória de Setúbal (24 pontos) e Académica (25 pontos) completam hoje a 26ª jornada e um deles ou ambos podem aproximar-se daquele tecto. O Olhanense fez 25 pontos e está portanto a três da salvação matemática, embora em igualdade pontual o Belém tivesse vantagem. Mas esperem aí, estou só a fazer de conta que os outros três aflitos (não vale a pena mencionar o Leixões) não ganham mais nada, o que convenhamos é quase um absurdo. Mas enfim, são estas as contas do milagre.
Milagre que pode ficar já resolvido se não ganharmos o próximo jogo no Restelo contra o Rio Ave.

Saudações azuis

xmlns:dc="http://purl.org/dc/elements/1.1/"

<< Home