segunda-feira, outubro 10, 2011

Eliseu, etc e tal…

Rompendo um longo silêncio venho a terreiro escrever qualquer coisa que ainda me lembre o Belenenses. Por exemplo, a incapacidade para tirar partido daquilo que temos, daquilo que se construiu, seja em que modalidade for, seja em que sector for. Mete dó. O elenco é vasto pois todos os dias aparecem (na televisão) atletas que já jogaram no Belenenses e são hoje cabeça de cartaz em casa alheia, sejam antigos rivais ou não. O caso de Eliseu é sintomático, desprezado no Belenenses, foi atirado borda fora por qualquer motivo fútil e é hoje um jogador feito e cobiçado. Mas temos o Rolando, o Ruben Amorim, o Baiano (um dos pernas de pau, lembram-se!) e temos a equipa toda de futsal do Sporting, campeão nacional, e temos o guarda-redes Marcão no Benfica, fora o resto, o que quer dizer que não vale a pena ter modalidades para sustentar as modalidades dos supostos rivais. Só se for por masoquismo! Ainda por cima sem ganhar um tostão… pelo frete!
É claro que tudo isto revela a ausência de um projecto credível para o clube, situação que se arrasta há longos anos, através de direcções incapazes de mudar o rumo dos acontecimentos. E a saga continua. Bem, dir-se-á que esta direcção recebeu uma pesada herança, e que só existem dívidas. Será verdade, mas esse será por certo o discurso da próxima direcção e daqui não saímos enquanto não aparecer alguém não apenas com projectos mas com dinheiro para os levar à prática. Dinheiro que é fonte de força para afastar de vez os empecilhos que é coisa que não falta no Restelo. Se não for assim, a cepa torta vai continuar.
Portanto, não vale a pena aparecerem candidaturas, ainda para mais cromos repetidos, se não trouxerem dinheiro, muito dinheiro, para inverter o plano inclinado em que gravitamos. Não sendo assim, o melhor é ficarem em casa como eu. Entretidos a ver o Eliseu na televisão.

Saudações azuis

xmlns:dc="http://purl.org/dc/elements/1.1/"

<< Home